Cambistas estão organizados

Cambistas estão organizados

A Polícia Civil do DF prendeu 23 pessoas, a maioria estrangeiras, nas proximidades do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. Segundo os investigadores, o esquema é sofisticado e conta com o apoio de sites especializados

» KELLY ALMEIDA
postado em 02/07/2014 00:00
 (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press - 23/6/14)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press - 23/6/14)




Desde o início da Copa do Mundo, a polícia prendeu 23 pessoas e recolheu 695 ingressos no Distrito Federal. Do total de tíquetes recolhidos, 50 eram falsificados. O restante seria comercializado de forma ilegal por cambistas e com valores muito superiores aos vendidos pela Fifa. Dos detidos, 14 são estrangeiros. Apesar da dificuldade enfrentada por milhares de torcedores para comprar os bilhetes, sites direcionados para a venda irregular ainda apresentam entradas para a final do Mundial, no Rio de Janeiro, em 13 de julho. O custo para duas pessoas, por exemplo, passa de R$ 110 mil. A Polícia Civil monitora a ação dos criminosos e investiga como conseguiram tantas entradas.

O caso mais grave descoberto pela Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (Corf) foi o de dois turcos presos em 26 de junho em um hotel na área central de Brasília. Eles foram contratados por um site internacional de venda de ingressos para entregar os bilhetes na capital do país. O portal segue no ar e oferece tíquetes para quase todas as partidas que restam. Os bilhetes são emitidos mediante pagamento em dólar ou em euro.

Há uma grande cadeia de comando no esquema. O torcedor compra pela internet e recebe um cupom de confirmação. Na cidade da partida, horas antes de a bola rolar, vai até o hotel onde estão integrantes do grupo e pegam as entradas. ;No caso dos turcos, eles receberam a passagem, a hospedagem e uma quantia em dinheiro para cada ingresso entregue. Dizem que não sabem quem são os chefes porque cada dia falam com uma pessoa diferente;, afirmou o chefe da Corf, delegado Jefferson Lisboa.

Os dois turcos foram presos no momento em que colombianos chegavam ao hotel para retirar a compra. Estavam com 140 bilhetes, todos válidos. No caso deles, a autuação foi por tentativa de estelionato. Mas outros estrangeiros presos pela Polícia Civil responderão por cambismo qualificado, quando os criminosos fornecem os bilhetes em grande quantidade. A pena para esse crime pode chegar a 4 anos de prisão. No estelionato, a pessoa tem tíquetes nominais ou para categorias específicas e vende sabendo que outro torcedor não pode usá-los. Nesse caso, pode ficar até cinco anos detido. Com base na lei brasileira, estrangeiros presos no Brasil devem cumprir a pena no país e, depois, são expulsos aos locais de origem.

Cuidados

Apenas a Fifa é autorizada a vender os ingressos da Copa do Mundo. Qualquer pessoa ; ou site diferente ; que fizer a comercialização pode ser punida. De acordo com o delegado Jefferson, até quem tem a entrada, mas desiste de ir e tenta revendê-la, pode responder por cambismo. Os 695 bilhetes apreendidos pela Polícia Civil foram encaminhados para o depósito da Justiça. A Fifa é informada sobre as apreensões e pode anular os passes para abrir a venda da mesma quantidade recolhida. O problema, segundo a polícia, é que as apreensões acontecem geralmente pouco antes dos jogos.

A partir de agora, o objetivo da polícia é identificar a forma como os criminosos conseguiram tantos ingressos, já que cada pessoa cadastrada tem direito a comprar até 28 bilhetes. ;Antes da Copa, sabíamos como os criminosos faziam e como ocorria o esquema. Fizemos levantamentos e conseguimos localizar e prender vários. Agora, vamos aprofundar as investigações;, explica o chefe da Corf. Segundo o delegado, quem compra ingresso da mão de cambista é considerado vítima, pois, como os bilhetes são nominais, a pessoa pode ser impedida de acessar a arena.

Além da venda ilegal, os cambistas trabalham com tíquetes falsificados. Os 50 recolhidos pelos investigadores estavam com seis pessoas e apresentavam semelhanças com os originais. ;A olho nu, a única diferença é que o verso é mais amarelado. O melhor é o torcedor comprar apenas nos locais autorizados. Porque, além de pagar um valor acima do que é vendido oficialmente, a pessoa corre o risco de não conseguir entrar no estádio;, alerta Jefferson Lisboa.

Flagrantes em Brasília

19 de junho ; Um brasileiro e três colombianos presos por cambismo

23 de junho ; Sete brasileiros, um inglês, um polonês e dois holandeses detidos por tentativa de estelionato

26 de junho ; Um português e dois turcos presos por tentativa de estelionato

30 de junho ; Um espanhol, um francês, dois nigerianos e um argentino detidos por cambismo

Total: 23 presos, sendo 14 estrangeiros

Ingressos apreendidos
Total: 695,
sendo 50 falsos


Fonte: Polícia Civil do Distrito Federal

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação