Estrelas de Belém

Estrelas de Belém

Além do grande mercado Ver-o-Peso, a capital do estado apresenta boas atrações. Parques, procissões e o maior conjunto de ilhas fluviais do mundo estão à espera do visitante

postado em 03/09/2014 00:00
 (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press - 29/6/13)
(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press - 29/6/13)

A capital pode ser conhecida de várias maneiras, mas é sempre bom lembrar que a temperatura média de 27;C pode ser um empecilho para longas caminhadas. Para quem quiser conhecer boa parte da cidade a partir das águas da Baía de Guajará, há um passeio de barco, com capacidade para 60 passageiros, que sai todos os dias da Estação das Docas, às 17h30, com término às 19h. Com comida típica e bebidas vendidas a bordo, tem também show de danças típicas. Custa R$ 34 por pessoa e vale a pena, tanto para divertimento quanto para fotografias. Confira as outras atrações que o Turismo selecionou. (AD)


Ilha de Marajó
Maior conjunto de ilhas fluviais do mundo, Marajó tem cerca de 50 mil quilômetros quadrados, área maior do que países como Bélgica, Holanda e Dinamarca ou estados dos estados de Alagoas e Sergipe juntos. A criação de búfalos, a arte ancestral marajoara e belíssimos visuais chamam a atenção. Em lanchas rápidas, o percurso de Belém a Marajó é de cerca de duas horas. Há ótimas pousadas (algumas em fazendas) e restaurantes.


Parque Emílio Goeldi
Centro de pesquisas com milhares de exemplares da flora e fauna da Amazônia, o parque aberto ao público chama a atenção pela enorme área verde que ocupa o centro de Belém, com 5,2 hectares. No mesmo espaço, funciona o Museu Paraense Emílio Goeldi. Fundado em 1895, é o mais antigo do Brasil do gênero. Concentra as atividades educativas do Museu Goeldi e recebe anualmente cerca de 200 mil visitantes.


Theatro da Paz

Construído em 1878, no chamado Ciclo da Borracha, quando a região vivia um boom econômico, ele é inspirado no Teatro Scala de Milão (Itália), uma das mais famosas casas de ópera do mundo. O nome é uma alusão ao fim da Guerra do Paraguai. Decoração e materiais trazidos da Europa, como pisos, escadas, estátuas e lustres, são destaques. O local sedia o Festival Internacional de Ópera da Amazônia.


Mangal das Garças
Criado pelo governo estadual em 2005, o parque ecológico ocupa área de 40 mil metros às margens do Rio Guamá, próximo ao Centro Histórico da capital. Com lagos, milhares de aves, vegetação típica, equipamentos de lazer e restaurante, o Mangal das Garças é um excelente programa para todas as idades. A Torre de Belém, com nove andares, propicia uma vista espetacular da cidade, do rio e de todo o parque. A acesso à torre é feito por escadas, mas, para quem não tem fôlego ou disposição, há também um elevador.


Círio de Nazaré
Desde 1793, Belém realiza a procissão em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré, o Círio, considerada uma das principais manifestações religiosas do Brasil, com cerca de 2 milhões de fiéis que acompanham a imagem da santa nas ruas. O momento culminante da festa é sempre no segundo domingo de outubro. Este ano, coincidentemente, será em
12 de outubro, dedicado à padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida.


Estação das Docas
Ao lado do Ver-o-Peso, foi construída a partir da revitalização do antigo porto de Belém, nos mesmos moldes de Puerto Madero, em Buenos Aires. A estação tem seis restaurantes, uma choperia, lojas e quiosques de artesanato, de sorveteria e produtos regionais. Há, ainda, exposições permanentes com a história do porto e arqueologia urbana, cinema, teatro e salas para eventos. É palco de constante programação cultural de shows, exposições, seminários e filmes.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação