Oposição pede ação contra Dilma

Oposição pede ação contra Dilma

Integrantes do PSDB, do DEM, do PPS e do Solidariedade querem a abertura de investigação por causa das pedaladas fiscais em 2013 e 2014

Julia Chaib
postado em 27/05/2015 00:00
 (foto: Jorge William/Agência O Globo)
(foto: Jorge William/Agência O Globo)


A oposição protocolou ontem uma representação contra a presidente Dilma Rousseff na Procuradoria-Geral da República (PGR) por ter cometido supostos crimes financeiros e falsidade ideológica. Assinam a petição criminal integrantes do PSDB, do DEM, do PPS e do Solidariedade. Eles acusam a presidente de ter cometido ;pedaladas fiscais; para maquiar contas públicas e atingir o superavit primário.

Os integrantes das legendas se basearam em pareceres do TCU de que Dilma cometeu crime contra a Lei de Responsabilidade Fiscal por causa das ;pedaladas fiscais; feitas entre 2013 e 2014. A prática consiste no atraso de pagamentos pelo Tesouro a bancos públicos para arcar com os custos de projetos sociais, como Bolsa Família e seguro-desemprego. A representação foi protocolada ontem pelos líderes dos partidos na Câmara e no Senado em reunião com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

A oposição utilizaram a recomendação do ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior. Reale também elaborou um pedido de impeachment da presidente para a oposição apresentar quando julgar o melhor momento. Caso a PGR aceite a ação e faça uma denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Câmara deve analisar a abertura da ação criminal. Se for aceita, Dilma deve ser afastada por 180 dias.

Antes de conversar com Janot, o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio, disse que a ação engloba a prática de crimes de falsidade ideológica e contra as finanças públicas. Segundo o líder do Solidariedade, Arthur Maia (BA), a representação não se baseia em ;alusões; de natureza política. ;Não se trata de um pensamento, ideia, constatação das oposições. Trata-se de um parecer que constata fraude contra a Lei da Responsabilidade Fiscal que esperamos que tenha como consequência o afastamento da presidente da República;, afirmou Maia. Enquanto os parlamentares concediam a entrevista, representantes da marcha do Movimento Brasil Livre gritavam parabenizando a ação.

Mais cedo, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG) disse que a representação mostra que a presidente cometeu ;crimes comuns; e que não há recuo no pedido de impeachment. Segundo ele, a petição junto à PGR é a que traz mais efeitos práticos no momento. Ele também aproveitou a ausência da presidente Dilma e de algum representante do governo na Marcha dos Prefeitos, para criticá-la durante o evento. ;Não pode olhar nos olhos dos prefeitos porque mentiu. O governo iludiu os brasileiros e os prefeitos;, disse ele sobre a ausência da petista. Ele afirmou ainda que a presidente está ;sitiada;.

Dilma perde posições na lista da Forbes
A presidente Dilma Rousseff caiu três posições no ranking das 100 mulheres mais poderosas do mundo da revista Forbes. A petista saiu da quarta para a sétima colocação. Dilma ainda está à frente da primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama (10; colocada), e da presidente da Argentina, Cristina Kirchner (16;). A mulher mais poderosa do mundo, segundo a Forbes, é a chanceler alemã Ângela Merkel, que manteve a posição do último ranking. Em segundo lugar, aparece a candidata à Presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, que subiu quatro posições. O levantamento leva em conta fortuna, aparições na mídia, esfera de influência e impacto, entre outros.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação