São dias de rock, bebês!

São dias de rock, bebês!

Times que disputam a Série A apostam em atletas da categoria de base %u2014 um jeito barato de se montar um bom grupo, com retorno financeiro garantido em muitos casos

postado em 18/10/2016 00:00
 (foto: Yasuyshi Chiba/AFP - 6/9/2014)
(foto: Yasuyshi Chiba/AFP - 6/9/2014)

Uma das razões para o Brasil ser reconhecido mundialmente como o país do futebol é a imensidão de craques que saíram dos gramados nacionais. Nomes como Pelé, Zico, Ronaldo e Neymar são os melhores exemplos. No Campeonato Brasileiro de 2016, Gabriel Jesus, principal destaque do líder Palmeiras; Luan, do Grêmio; e Gustavo Scarpa, do Fluminense; dão alegria aos times que neles acreditaram. Também fazem mais equipes investirem na própria base com esperança de recompensa técnica e financeira ; com futuras vendas. O Correio analisou as últimas cinco rodadas da elite nacional para descobrir quais clubes têm apostado com maior intensidade nas próprias revelações.


Ao todo, 94 jogadores da base entraram em campo no período. Oitavo colocado na tabela, o Grêmio é o clube que mais utilizou promessas. Celeiro de craques como Ronaldinho Gaúcho, a equipe colocou em campo 13 atletas diferentes nas últimas cinco partidas. Apenas na última rodada, quando empatou com o Santos na Vila Belmiro, oito integrantes da base atuaram. Embora o técnico Renato Gaúcho tenha escalado um mistão para a partida ; o grupo principal é reservado para a Copa do Brasil ;, apenas o volante Guilherme Amorim não entrou em campo no período.
As principais promessas gremistas são os campeões olímpicos Walace e Luan ; titulares na conquista do ouro histórico para o Brasil, no Rio de Janeiro. Além deles, destaque para o goleiro constantemente convocado para a Seleção, Marcelo Grohe, profissional há mais de 10 anos no clube.


Na ponta de cima da tabela, a experiência prevalece sobre a juventude. Entre os três primeiros colocados ; Palmeiras, Flamengo e Atlético-MG, respectivamente ;, apenas seis das categorias de base jogaram nas últimas cinco partidas. Desses, apenas dois são titulares absolutos: Gabriel Jesus, do Palmeiras, e Jorge, do Flamengo. No Galo, o zagueiro Gabriel até vinha sendo utilizado com frequência entre os 11, mas voltou à reserva com o retorno do equatoriano Erazo, que estava lesionado. Felipe Vizeu, do Fla, e os volantes Lucas Cândido e Yago, do Atlético-MG, completam a lista daqueles que atuaram ao menos uma vez no período.

Os dois lados
Na briga pela Libertadores, clubes que apostam nas crias da casa se dão bem. Entre os 10 primeiros colocados, na luta pelas seis vagas da competição continental, somente a Ponte Preta escalou menos de cinco jogadores da base. O Santos, time historicamente revelador de talentos, usou seis. O Atlético-PR, dono de uma estrutura invejável nas categorias menores, conta com pelo menos metade da equipe formada em casa. Além deles, o Fluminense deposita as esperanças nas joias Gustavo Scarpa e Marcos Júnior.


Quanto ao uso da base para fugir da degola, ninguém supera o Internacional. Mesmo com um elenco avaliado em mais de R$ 180 milhões ; segundo o site Transfermarkt, especializado em transferência de jogadores ;, o clube busca, entre os mais novos, as soluções para a crise atual. Nos últimos cinco jogos, Celso Roth utilizou oito jogadores diferentes formados pelo colorado. Pelo menos cinco atletas da casa entraram em campo em cada uma das partidas do período. Destaque para os medalhistas de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio, o lateral William e o volante Rodrigo Dourado.

Campeões juvenis
Vitoriosos nos principais torneios de base do Brasil em 2016, Flamengo ; vencedor da Copa São Paulo de futebol júnior ; e Botafogo ; campeão da Copa do Brasil Sub-20 ; adotam certa cautela ao colocar as promessas em campo na Série A. Do time rubro-negro campeão da Copinha, Felipe Vizeu, Léo Duarte, Ronaldo e Matheus Paquetá estão integrados ao elenco principal. Desses, apenas Vizeu e Duarte chegaram a atuar. O zagueiro, no entanto, só esteve em campo contra o Sport, na primeira rodada. Já Vizeu contribui com gols quando Guerrero e Leandro Damião não podem jogar. O atacante marcou, até o momento, cinco gols na competição, sendo alguns bastante decisivos, como os dois da vitória sobre o Atlético-MG, no Mané Garrincha, ainda no primeiro turno.


Pelo lado do alvinegro, campeão Sub-20 há pouco menos de um mês, nenhum atleta entrou em campo na elite nacional. Destaques do Botafogo na competição, os volantes Marcelo e Matheus Fernandes e os laterais Gustavo Bocheca e Marcinho foram integrados aos profissionais após o título, mas ainda não estrearam na Série A. O clube, no entanto, conta com alguns atletas vindos da base na surpreendente campanha de ascensão no segundo turno. O atacante Sassá, por exemplo, é o vice-artilheiro da competição, com 11 gols. Além dele, o zagueiro Emerson Santos deixou no banco o veterano Renan Fonseca e tem sido um dos mais elogiados.

Contra a corrente

O Santa Cruz ; 19; na tabela, com apenas 13 pontos, a 13 de deixar o Z-4 ; é o único entre os 20 clubes da elite que não escalou sequer um jogador formado nas categorias de base nos últimos cinco jogos. Diferentemente do que fez na escalada de divisões dos últimos anos, o clube contratou mais de 10 atletas apenas no meio da temporada e deixou de lado os garotos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação