Morre vítima de carro alegórico

Morre vítima de carro alegórico

Elizabeth Ferreira Joffe, conhecida como Liza Carioca, foi uma das 20 vítimas atropeladas no primeiro dia de desfiles do grupo especial, na Sapucaí

postado em 30/04/2017 00:00
 (foto: Márcio Cassol/Divulgação
)
(foto: Márcio Cassol/Divulgação )



A radialista Elizabeth Ferreira Joffe, conhecida como Liza Carioca, morreu na manhã de ontem. Ela foi uma das 20 vítimas do acidente com o carro alegórico da escola de samba Paraíso do Tuiuti no carnaval deste ano. Em nota, a escola de samba declarou estar ;profundamente consternada com o falecimento. A diretoria lamenta o ocorrido e presta as mais sinceras condolências aos familiares e amigos;. A agremiação diz ainda que ;desde o fatídico episódio, não se furtou em arcar com os custos do tratamento médico e oferecer apoio irrestrito às vítimas com sequelas e ferimentos graves;.

O prefeito Marcelo Crivella divulgou nota de pesar sobre a morte da radialista. ;É com muita tristeza que recebo a notícia do falecimento da radialista Elizabeth Ferreira Joffe, vítima do lamentável acidente ocorrido no Sambódromo. Presto minha solidariedade à família e aos amigos de Elizabeth e agradeço publicamente todos os profissionais de saúde que lutaram para salvar sua vida;. O marido de Liza, Paulo Guterres, publicou no Facebook uma mensagem na última quinta-feira, 27, pedindo orações. ;Amigos, por favor, peço uma grande corrente de orações pela minha Liza Carioca. O quadro dela se agravou mais e estamos muito preocupados;, disse.

Em março, quatro pessoas foram indiciadas por crime culposo (sem intenção) pelo acidente. A delegada responsável pelo caso, Maria Aparecida Mallet, disse à época que uma sucessão de erros, como a falta de visão do motorista e a ausência de guias para orientá-lo na pista, ocasionou o acidente.Foram indiciados o motorista do carro alegórico, Francisco de Assis Lopes, o engenheiro que o projetou, Edson Marcos Gaspar de Andrade, e os diretores de alegoria e carnaval da escola, Jaime Benevides de Araújo Filho e Leandro Azevedo Machado.

Elizabeth trabalhava como repórter da Ativa FM. Ela estava na área próxima à concentração quando foi atingida pelo carro alegórico. Ao todo, 20 pessoas foram imprensadas pela alegoria, a maioria enquanto trabalhava. O carro bateu na grade do Setor 1 no momento em que fazia a curva para entrar na Marquês de Sapucaí.

Depoimento
Após prestar depoimento na delegacia, o motorista do carro alegórico chegou a pedir desculpas às vítimas e disse que não teve culpa pelo acidente. Na ocasião, Francisco apontou a parte acoplada ao carro como a razão para o desastre. Segundo ele, que tem 53 anos, sua visão ficava prejudicada por causa do adereço, e não havia orientação suficiente por parte de representantes da escola para que a alegoria seguisse guiada com segurança. Sobre isso, Leandro Azevedo, diretor de carnaval da Paraíso do Tuiuti, discordou. Ele afirmou que, no momento do acidente, cinco pessoas orientavam o motorista.

Na segunda noite de desfiles do Grupo Especial, a estrutura de um carro da Unidos da Tijuca cedeu e pelos menos 15 pessoas ficaram feridas. Componentes foram retirados da alegoria pelos bombeiros, e integrantes da escola fizeram uma barreira para impedir que pessoas chegassem perto do carro, que atrapalhou a entrada das alas durante o desfile.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação