Servidor: horário especial na Copa

Servidor: horário especial na Copa

BRUNO SANTA RITA *
postado em 05/06/2018 00:00
A apenas nove dias da abertura da Copa do Mundo da Rússia, o Ministério do Planejamento Desenvolvimento e Gestão decidiu que o expediente dos órgãos e entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional será alterado, excepcionalmente, nos dias de jogos do Brasil para que os servidores possam acompanhar as partidas da seleção.

Portaria divulgada ontem pela pasta estabelece que, nos dias em que os jogos do Brasil ocorrerem na parte da manhã, o expediente terá início às 14h. Quando a partida for à tarde, o expediente terminará às 13h. O ministério decidiu, porém, que as horas não trabalhadas deverão ser pagas até 31 de outubro e que sejam preservadas as horas consideradas essenciais.

Na primeira fase da Copa, a seleção brasileira joga em 17 de junho, às 15h, contra a Suíça; em 22 de junho, às 9h, contra a Costa Rica; e em 27 de junho, às 15h, contra a Sérvia.

Para Edson Cunha, 40 anos, que trabalha no Ministério da Defesa, a decisão é um alívio para os aficcionados por futebol. ;Eu gosto de sentar e acompanhar o meu time e até prefiro assistir em casa. Dá para ver melhor as jogadas, tirar as dúvidas com a reprise dos lances e tudo o mais;, explicou.

O servidor José Marcelino dos Santos, de 70 anos, também gostou da medida. Ele explicou que, pela sua idade, não costuma acompanhar jogos nos estádios e que vai aproveitar os dias de jogos também para descansar, mesmo tendo que repor as horas posteriormente. ;Eu já sou velhinho. Se tiver como ir para casa, melhor;, afirmou.

O teor da decisão, porém, não agradou a todos. O servidor Joel Lima, de 55 anos, disse que necessidade de repor as horas não trabalhadas tira qualquer vantagem do trabalhador. ;Não vou faltar ao serviço nenhum dia. Lá tem televisão. Vou assistir de lá para não ter que pagar as horas em outros dias;, criticou. Ele admitiu, porém que acharia boa a opção assistir aos jogos de casa se não fosse a obrigatoriedade de pagar as horas até 31 de outubro.

Já o auxiliar administrativo Rosean Figueiredo, de 55 anos, comemorou. Ele explicou que, geralmente, terceirizados são liberados sem ter a necessidade de repor horas. ;Para quem não tem que bater o ponto, isso é bem legal;, afirmou. O Governo do Distrito Federal (GDF) informou que o calendário para os servidores locais ainda está em discussão e que será divulgado em breve.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação