Visto, lido e ouvido

Visto, lido e ouvido

Circe Cunha (interina) / circecunha.df@dabr.com.br
postado em 10/10/2018 00:00
As urnas falam do momento

Das infinitas lições colhidas após as apurações das urnas em todo o país, cada um dos postulantes saberá selecionar aquelas que melhor dizem respeito à sua performance no pleito inusitado, refletindo bastante sobre os resultados e, principalmente, buscando ouvir, com acuidade o que dizem os eleitores. De fato, as urnas falam. O que dizem, espelha o momento com exatidão. Fosse usado um estetoscópio para melhor auscultar os resultados das urnas, reconhecendo e diagnosticando cada um de seus ruídos, saberiam aqueles que se submeteram ao escrutínio da população que os eleitores, a cada quatro anos, buscam desenhar o perfil do candidato que melhor se enquadra para resolver a grande questão ou angústia do momento. De saída, é preciso notar a grande defasagem entre aquilo que previam os institutos de pesquisa de opinião e os resultados saídos das urnas. Tal constatação coloca em xeque ou as metodologias usadas ou os próprios institutos, muitos deles comprometidos ou capturados por ideologias e partidos.

Outro aspecto a se observar com atenção é quanto ao trabalho realizado pelas agências de propaganda dos candidatos e, sobretudo, ao papel dos chamados marqueteiros para conferir uma roupagem ou fantasia a cada um dos seus clientes e postulantes. A realidade tem fornecido olhos de raios X para a população, fazendo com que muitos enxerguem quem, realmente, está detrás de cada figurino. O mesmo vale para os debates na televisão. Mornos e sem conteúdo, essas discussões ficam acondicionadas nas armaduras impostas aos debatentes por cada emissora e acaba esfriando esses encontros e afastando os eleitores, que mudam de canal.

Quem pode escutar com atenção o que disseram as urnas, saberá identificar uma certa aproximação entre os resultados finais e o que corriam pelas redes sociais da internet, deixando claro que existe, sim, uma conexão entre o trafega nas redes e o que saem das urnas. Caso emblemático desse desejo momentâneo do cidadão expresso no voto é quanto à questão da segurança e seus múltiplos desdobramentos na vida comunitária. Ao lado dos muitos problemas nacionais, como a corrupção, as questões relativas à segurança pública estão na ordem do dia. Fica em evidência aquele candidato que traz consigo, na ponta da língua, programas realistas e exequíveis que possam resolver esse problema.

O Rio de Janeiro, que continua sendo a vitrine do país, vive atualmente um grave problema de segurança . Já são mais de 104 policiais mortos somente esse ano. Nesse caso, as urnas disseram em alto e bom som que era a hora de escolher, não legisladores e políticos , mas policiais de verdade, trazendo para dentro do governo aqueles que entendem da situação. Nessas eleições, o estado do Rio de Janeiro elegeu a maior bancada policial de toda sua história. O mesmo vale para o próprio candidato Bolsonaro que, com sua bandeira de estabelecimento da ordem e endurecimento contra os criminosos, por pouco, não foi eleito em primeiro turno. O que o cidadão daquele estado e de muitos pelo país a fora querem, nesse momento, é ver, na prática, e as urnas gritaram isso. É o que está inscrito na faixa branca que corta o lábaro estrelado da bandeira nacional: ordem e progresso.

A frase que foi pronunciada
A liberdade de eleições permite que você escolha o molho com o qual será devorado.

Eduardo Galeano

Lançamento
; A Editora UnB convida para o lançamento do livro Anísio Teixeira e seu legado à educação do Distrito Federal: História e memória, no próximo dia 18 , às 17h, no Centro de Excelência em Turismo da UnB, câmpus universitário Darcy Ribeiro. A obra, organizada por Eva Wairos Pereira, Laura Maria Coutinho e Maria Alexandra Militão Rodrigues.

20 anos
; Saulo Vasconcelos conta sua experiência desde o Coro Sinfônico da UnB até a atuação nos mais conhecidos musicais ,como O Fantasma da Ópera, a Noviça Rebelde e Les Misérables, Por Trás das Máscaras, será um sucesso de venda em Brasília, com tantos amigos de diversos coros que torceram pelo sucesso do artista e agora, também escritor.

Atenção
; Consumidores fiquem atentos. Funcionários da Estapar raramente pedem o CPF para o Nota Legal.

Proibido
; Ao lado de duas garagens cobertas a fileira de carros toma conta da pista do Venâncio 2000 tornando perigoso o trânsito em duas vias.

Novidade
; Exames toxicológicos nas estradas têm reduzido em quase 40% o número de acidentes. Graças à Lei do Caminhoneiro, o exame passou a ser obrigatório para os motoristas que buscam as carteiras de habilitação C, D e E. Menos horas de trabalho diminuiria também.

História de Brasília
Hoje o caminhão estava no Eixo, próximo à 114, mas precisa mais caminhões. Até chegar à Plataforma, um só caminhão trabalhando, muitos carros se quebrarão. (Publicado em 31/10/1961)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação