Tantas palavras

Tantas palavras

Por José Carlos Vieira Esta seção circula de terça a sábado/ cartas: SIG, Quadra 2, Lote 340 / CEP 70.610-901
postado em 18/05/2019 00:00
Varanasi

Eu tenho as cortes nos lábios

da escuridão. Eu danço

nas ondas do infinito.


Eu bato à porta

do meu caos,

por que eu abriria?


Atman é o meu nome,

vivo nas neves da Índia,

enterrado, quieto, oculto.


Os átomos a sagrada Bharat

fluem através de mim

e eu não estarei


dentro do mesmo corpo,

observo e sou observado.

Sou meu próprio sonho ;


Sou o caçador e caça.


Drago Stambuk, do livro O mar não está mais (ed. Penalux)


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação