Cuidado a distância

Cuidado a distância

Para evitar a circulação de pacientes em clínicas, consultórios ou hospitais, e o risco de infecção pelo coronavírus, médicos adotam a telemedicina. Saiba como funciona

Por Ailim Cabral
postado em 10/05/2020 00:00
A telemedicina, definida como o exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde, foi autorizada no Brasil em abril.

Carolina Pampolha, médica clínica e head de operações da Docway, empresa que trabalha com telemedicina e teleorientação, explica que a principal mudança está no fato de que agora os profissionais podem atuar com mais liberdade para ajudar os pacientes no que se refere a prescrições e emissão de atestados médicos, por exemplo.

Durante a pandemia é importante investir em medidas que exponham menos pessoas aos riscos. Carolina explica que com a regulação da telemedicina, os pacientes que não precisam ir ao pronto socorro, mas precisam de orientações quanto a medicamentos podem ser atendidos correndo menos riscos de infecção e ajudando a desafogar os sistemas de saúde para quem realmente precisa. ;Reduzimos 90% de idas desnecessárias ao pronto socorro, um ganho para todos;, explica.

Rafael Belon, CEO da Connecty Pay, plataforma que oferece o serviço de telemedicina, ressalta que a ausência de contato entre médico e paciente é mais uma ferramenta na luta contra a pandemia. ;O paciente pode ter as orientações que precisa em casa, cumprindo a quarentena;.

Carolina acrescenta ainda que a medida permite que profissionais da saúde em grupo de risco, como médicos idosos ou com doenças autoimunes continuem trabalhando e fazendo a sua parte para ajudar o restante da população durante um período em que eles são necessários.

A Lei n; 13.989/2020 regulamenta o uso da medida para todas as áreas da saúde enquanto o país estiver em crise em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a lei, o serviço deve seguir os mesmos padrões normativos e éticos do atendimento médico presencial. Mas como funciona a telemedicina na prática? Como é feita a prescrição de remédios e os pedidos de exame? E os atestados?

A Revista conversou com alguns especialistas que esclarecem essas e outras dúvidas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação