Ano novo, país na mesma

Jaeci Carvalho
postado em 02/02/2014 00:00
 (foto: DANI POZO/AFP 2013 11/1/14)
(foto: DANI POZO/AFP 2013 11/1/14)


Depois de bom período de descanso nos Estados Unidos, país civilizado em que o cidadão é respeitado e tem de volta todo o imposto pago traduzido em benefícios, retorno ao país do faz de conta, da corrupção, das falcatruas, dos mentirosos, dos mensaleiros.

O Fluminense caiu mais uma vez para a Segunda Divisão e mais uma vez não vai disputá-la. Tiraram a Portuguesa na marra, no tribunal, e não no campo, na bola, nos 90 minutos. Também, para quem subiu da Terceira para a Primeira também por meio da caneta, não é de se espantar. Sugiro aos torcedores de bem que não compareçam aos jogos contra o Flu ou pelo menos vaiem o tricolor carioca do início ao fim ou então gritem ;ão, ão ão, Segunda Divisão;. Os campeonatos estaduais, não regionais, como dizem alguns, começaram. Não valem nada, o torcedor pouco se lixa, mas ocupam cinco meses do ano. Aí no fim, com raríssimas exceções, a disputa do título é sempre entre dois grandes. Competições obsoletas, ultrapassadas, retrógradas.

Vejam que nada mudou de um ano para o outro. Aliás, os escândalos estão aí para quem quiser ver. O caso da venda do Neymar (foto) foi uma vergonha. O presidente do Barcelona renunciou porque descobriram a falcatrua e os milhões de euros desviados. Lá na Espanha é assim: ou o cara renuncia ou é expulso do clube. Por aqui não. Há vários indícios de dirigentes que fizeram negociações nebulosas, mas os conselhos deliberativos aprovam tudo, cegos como o César de Amor à vida. Também quem escolhe os conselheiros são os presidentes de clubes, entenderam? Não me desliguei totalmente da internet e vi no Superesportes que Eurico Miranda quer voltar a presidir o Vasco. Não duvidem: ele será vencedor na eleição, pois Roberto Dinamite, um fracasso, não é tão santo como se imaginava.

Como é bom andar pelas ruas em segurança, com policiais te vigiando e protegendo ao mesmo tempo. Como é bom saber que o imposto pago serve para que seu filho tenha a melhor escola do mundo de graça. Que o asfalto da sua rua é renovado e bem estruturado. Que a lei que pune o anônimo é a mesma que põe na cadeia o astro famoso. Alguém sabe onde está o motorista que ceifou várias vidas na Nossa Senhora do Carmo, quando a carreta desceu em alta velocidade e as bobinas se desprenderam causando grande tragédia? Com certeza dirigindo pelas péssimas estradas brasileiras, pronto para ceifar mais vidas. Lá nos EUA, caminhões andam na faixa da direita, sem poluir, sem soltar aquela fumaça preta que vemos aqui.

Ir ao basquete é um prazer. Além da organização do espetáculo que só os americanos sabem fazer, você se sente seguro. Torcedores do Miami Heat e do Los Angeles Lakers podem conviver lado a lado, torcer contra o outro e respeitá-lo. Aqui, as facções, algumas alimentadas por presidentes de clubes, se digladiam, matam e morrem. Se não há jogo, marcam encontro num local que se transforma em praça de guerra. Tudo sob o olhar complacente de nossas autoridades, que fecham os olhos à realidade, como o César da novela.

Prestes a realizar a Copa do Mundo, faltam apenas cinco meses para a competição futebolística mais importante do planeta. Já gastamos mais de R$ 30 bilhões, dinheiro que serviria para construir escolas, hospitais, remunerar melhor professores, policiais e médicos. Ao contrário, construímos belíssimo estádio em Brasília, onde não existe futebol. Ronaldo Fenômeno disse que não se faz Copa com hospitais. Mas o povo brasileiro teve o direito de votar e dizer se queria realmente esta Copa?

Se não me engano, queriam fazer uma Olimpíada na Suécia, um dos países mais desenvolvidos e seguros do mundo, mas o povo disse não. Há outras prioridades. Por isso, sempre uso a velha frase de Arrigo Sacchi, ex-técnico da Seleção Italiana: ;O futebol é a coisa mais importante entre as menos importantes da vida;. Trabalho com o futebol pelo pouco prazer que ainda tenho, mas, sinceramente, não pedi Copa do Mundo. Para piorar, vejo a notícia de que o Brasil empresta dinheiro a Cuba, para que o país do ditador Fidel Castro e do irmão Raúl construa um porto. É de lascar.

E o futebol é reflexo de tudo o que acontece no país. Como brasileiro, vou torcer por nossa Seleção, mas confesso que não acredito na conquista. Esta Copa ficará nas mãos de alemães ou argentinos. Não temos time para chegar à final. À exceção de Pelé, o maior de todos, nenhuma seleção campeã do mundo tinha o maior jogador com apenas 21 anos. Ronaldo, Rivaldo, Zidane, Matthaeus, Romário, Iniesta foram campeões com mais de 27. Vale lembrar que Ronaldo esteve no grupo de 1994 com 17 anos, mas não jogou uma vez sequer.

Espero mesmo que a população de bem vá às ruas protestar, de forma pacífica, contra os desmandos dos nossos governantes, mostrando ao mundo ; aqui representado por jornalistas, autoridades e seleções ; que o Brasil está vendendo imagem que não existe. Estamos no fundo do poço, com assassinatos cruéis em todas as grandes capitais e até no interior, com as autoridades fechando os olhos.

Conversei em Miami com muitos brasileiros dispostos a largar tudo para viver naquela cidade, onde se sentem cidadãos de verdade. É duro ver gente deixando o país de nascença por causa do desgoverno que está aí. Pena, pois temos o melhor clima, as melhores praias, o melhor povo de bem do mundo. O que estraga mesmo são políticos nojentos e corruptos, que pensam que o país é deles. Só com políticos vamos voltar a acreditar, até mesmo no futebol.

Autuori
Conheço Paulo Autuori dos tempos de Cruzeiro. Cara espetacular, de caráter ímpar, um treinador de respeito. Há algum tempo ele vem fracassando nas equipes que dirige, mas é de primeira linha. Espero que dê certo no Galo, que tem um grupo forte, mas viveu um fim de ano frustrante, com a derrota para o Raja Casablanca na semifinal do Mundial de Clubes, e ainda perdeu Cuca, que dirigia a equipe havia dois anos e meio. O time que deu show na primeira fase da Libertadores caiu de rendimento nos mata-matas e teve de buscar forças do fundo da alma para conquistar a competição. Com a base mantida e R10 de contrato renovado, a massa torce para que Autuori repita o sucesso do antecessor e se transforme no primeiro treinador brasileiro três vezes campeão sul-americano.

Cruzeiro
Com a manutenção do grupo tricampeão brasileiro e com os reforços contratados, não tenho dúvidas: o Cruzeiro é o grande favorito da Libertadores. Se será campeão, só o tempo dirá, mas que é a equipe mais forte das que vão disputar a competição, não tenho dúvida.

Coelho

Vamos torcer para que o América volte à elite do nosso futebol, com qualidade e time

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação