Na base do jeitinho

Na base do jeitinho

Mesmo com 15% da obra a ser concluída e previsão de entrega a um mês dos jogos, Arena da Baixada é mantida pela Fifa na Copa do Mundo. Operação de emergência salvou Curitiba

Bruno Freitas
postado em 19/02/2014 00:00
 (foto: RODOLFO BUHRER/REUTERS)
(foto: RODOLFO BUHRER/REUTERS)

Confirmada ontem entre as 12 sedes do Mundial no Brasil, a Arena da Baixada será inaugurada a sete dias do prazo de cessão de estádios à Fifa, em 22 de maio. A cerimônia de inauguração da obra, a mais atrasada entre as quatro pendentes (85,53% de execução), deverá ocorrer ;por volta de 15 de maio;, disse o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, logo após anunciar pelo microblog Twitter a manutenção da casa do Atlético-PR no torneio máximo do futebol.

Até lá a arena deverá passar por dois jogos-teste (um no fim de março e outro em abril), preparação que contraria a recomendação da entidade em realizar pelo menos três avaliações de estádios da Copa do Mundo antes de uma partida oficial. A entrevista de confirmação na capital paranaense foi cercada por sensação de alívio aliada a constrangimento de autoridades.

Conforme mostrou o Estado de Minas, a avaliação positiva de técnicos da Fifa sobre a obra ; acelerada com a instalação de mais de 15 mil (dos 43 mil) assentos, conclusão do vestiário e gramado ; se mostrou determinante na vistoria de ontem. O poder público se comprometeu a liberar R$ 38 milhões dos R$ 65 milhões necessários à conclusão. ;Curitiba reconfirmada como sede da Copa;2014, com base nas garantias financeiras, compromisso de todas as partes e progresso feito. Será uma corrida apertada contra o tempo e o esforço coletivo de todas as partes envolvidas;, tuitou Valcke.

Até que um montante de R$ 250 milhões seja liberado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Fomento Paraná, empresa ligada ao governo do estado, emprestará R$ 38 milhões para o Atlético-PR. O dinheiro, prometeu o clube, será devolvido aos cofres públicos assim que o empréstimo do BNDES for liberado. Esta foi a terceira vez, contudo, que o Executivo paranaense interveio com um empréstimo-ponte desde o início da reforma, em outubro de 2011. Inicialmente orçada em R$ 185 milhões, a Arena da Baixada já consumiu R$ 330 milhões.

PLANO EMERGENCIAL Em 21 de janeiro, o atraso nas obras levou Valcke a dar um ultimato aos responsáveis pela organização da Copa na cidade. Na ocasião, o poder público do Paraná anunciou três medidas para contornar o problema: aumentar o número de operários, criar um comitê técnico e liberar a última parcela de um empréstimo que havia sido aprovado naquele mês.

A confirmação foi então condicionada à nova vistoria técnica de ontem, liderada pelo consultor para estádios da Fifa, Charles Botta. Em relatório anterior, o responsável havia dado o sinal verde devido aos avanços das últimas semanas. Depois do anúncio, Valcke reafirmou sua insatisfação com a forma de gestão até o início do ano. ;A obra agora andou muito, mas só porque nós pressionamos e colocamos nossa equipe no local. Uma equipe da Fifa e uma equipe do Comitê Organizador Local estão lá, e vão continuar lá, supervisionando. Toda a gestão da construção será monitorada por nós.;

Curitiba receberá quatro jogos da Copa, todos na primeira fase ; Irã e Nigéria, em 16 de junho, Honduras e Equador, no dia 20, Austrália e Espanha, em 23 de junho, e Argélia e Rússia, no dia 26. Ainda terá a campeã mundial Espanha concentrada no CT do Caju (também pertencente ao Atlético-PR).


O QUE LEVOU À CONFIRMAÇÃO
; Aumento do número de operários, com terceiro turno
; Avanços significativos na obra no último mês
; Liberação de R$ 38 milhões, parte do empréstimo necessário
; Fifa seguirá supervisionando as obras até a conclusão, em 15 de maio


O QUE AINDA AMEAÇA O MUNDIAL
Prazo para eventos-teste
;
Itaquerão (94% concluídos), Arena Pantanal (95%) e Arena da Amazônia (96%) tiveram as obras aceleradas para serem entregues a tempo dos três eventos-teste exigidos. O primeiro, palco do jogo de abertura (Brasil x Croácia em 12 de junho), foi remarcado para 15 de abril. Já o Ministério Público do Mato Grosso aponta que a arena de Cuiabá sofreu danos estruturais por causa do incêndio de outubro. Construtores e a Fifa negam. Os estádios devem ser testados até 22 de maio, quando a Fifa assume as operações.

Realização das fan fests
;
A falta de incentivos privados fez com que Recife desistisse de custear as fan fest, festa oficial da Fifa que exibirá os jogos ao vivo, com shows e telões, em áreas públicas. O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, também disse que a cidade não custeará o evento, previsto para a Praia de Copacabana. Em BH, a Secretaria Extraordinária Municipal da Copa (SM-Copa) garante ter obtido apoio por meio de lei que permite a patrocinadores instalar publicidades da Copa;2014 no mobiliário urbano.

Custo das estruturas temporárias
;
Ações dos ministérios públicos estaduais e federal questionam o custo de estruturas temporárias em estádios, o que inclui cabos, mobiliário e ar-condicionado, numa conta que pode chegar a R$ 600 milhões. A primeira cobra o ressarcimento de R$ 200 milhões já aplicados nas seis sedes durante a Copa das Confederações, dos quais R$ 38 milhões apenas no Mineirão. Um dos três clubes donos de estádios, o Internacional já adiantou que não pagará pela estrutura do Beira-Rio, estimada em R$ 30 milhões.



TRÊS CAMPEÕES EM FALTA
Oito dos 32 técnicos da Copa ; dos quais três de seleções campeãs mundiais ; não vieram ao Brasil para o seminário técnico da Fifa, que vai até sexta-feira no resort Costão do Santinho, em Florianópolis. Ficaram de fora os treinadores da Argentina, Alejandro Sabella, da Alemanha, Joachim L;w, e da Itália, Cesare Prandelli, além dos representantes da Coreia do Sul (Hong Myung-Bo), do Japão (Alberto Zaccheroni), da Argélia (Vahid Halilhodi), do Chile (Jorge Sampaoli) e da Bélgica (Marc Wilmots). Quinze órgãos de segurança foram designados para operar o evento, o que causou revolta na capital catarinense.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação