Com a nossa cara

Com a nossa cara

O fotógrafo Alexandre Fortes deixou de lado as linhas arquitetônicas monumentais de Brasília para retratar os brasilienses que são importantes para a cidade ou que a promovem por todo país

PAULA BITTAR Especial para o Correio
postado em 17/05/2014 00:00




Depois de morar no Rio de Janeiro por dois anos, a saudade de Brasília ficou incontrolável dentro do peito do fotógrafo Alexandre Fortes, 27 anos. O sentimento foi transformado em um projeto que, por quatro anos, preencheu a rotina do jovem brasiliense. O trabalho se iniciou em 2009 e ganha forma, neste mês, na exposição A cara de Brasília. A mostra apresenta 50 retratos de pessoas marcantes da cidade. Os rostos representam a pluralidade dos cidadãos que ajudaram a construir a história da capital.

As fotos retratam personalidades conhecidas da grande mídia ou do nosso cotidiano. A beleza singular de cada personagem compõe uma exposição capaz de fazer com que o observador se identifique, independentemente de sua relação com a cidade. ;Tinha uma sede insaciável de promover Brasília. Precisava mostrar para a própria cidade, para o resto do país e quem fosse ver no exterior as caras que compõem Brasília. As pessoas veem a capital de uma maneira muito política e burocrática. Aqui tem gente, cultura e personalidade;, afirma Alexandre.

As linhas da arquitetura deram lugar aos contornos dos rostos. A escolha não foi fácil. O fotógrafo confessa que, se usasse o critério de ter que ser importante para Brasília, teria que fotografar toda a população e isso não seria possível. ;Algumas pessoas são consideradas celebridades. Outras contribuem, anonimamente, para a cidade. O projeto não pensa, em nenhum momento, fechar as portas para ninguém ou tachar que essas são as únicas pessoas a serem fotografadas, que são a cara de Brasília. O conceito é aberto. Quero que as pessoas se identifiquem para se sentirem parte da exposição;, revela.

Os 50 fotografados são referências talentosas da cidade em diferentes áreas. Entre eles, os músicos Oswaldo Montenegro, o jornalista Ari Cunha, o empresário Chiquinho Beirute, o diretor de teatro Hugo Rodas, o Chef Dudu Carmargo, o cineasta Vladimir Carvalho, o poeta Nicolas Behr, o economista Amaro Gomes, a pesquisadora Berê Bahia e a atleta Leila Barros. Todos trazem histórias cheias de sabedoria e criatividade.

O primeiro da lista a posar para as lentes de Alexandre Fortes foi Ernesto Silva. De acordo com o fotógrafo, o retrato que está na exposição foi feito meses antes da morte do pioneiro. Ellen Oléria também está na mostra. A fotografia foi realizada antes do programa de televisão que a fez conhecida em todo Brasil. A exposição conseguiu manter, sem perder a coerência do conjunto, a personalidade de cada pessoa. Revela uma complexa população, mistura de sotaques, culturas e diferentes estilos de vida.

Conceito
A dicotomia entre o formalismo da relação e a naturalidade desejada foi um desafio superado. A conversa com os personagens antes da sessão de fotos teve importância fundamental para captar melhor as expressões. O objetivo do fotógrafo era registrar feições que não costumam sair em retratos ou em fotografias. ;Fotografei com uma lente que não se utiliza em retratos 3x4. Me força a ficar mais próximo da pessoa e isso já torna a expressão diferente;, comenta Alexandre.

As fotografias são monocromáticas. ;Quis manter uma homogeneidade nos retratos, me concentrando mais no formato dos rostos. Não quero dizer que a cor da pele não importa, mas não é a questão que quero ressaltar no projeto;, conta Alexandre. As imagens trazem legendas com a profissão, o dia do nascimento, a data de chegada a Brasília, um pequeno depoimento e uma breve biografia do personagem. Em 25 imagens, haverá áudio com a descrição física e biográfica visando permitir que deficientes visuais consigam participar da exposição.

A abertura oficial da exposição com todas as fotos está marcada para 10 de junho, no Shopping Boulevard, no fim da Asa Norte. Mas, na segunda semana de maio, algumas fotos, teasers estão expostos nas estações de Metrô da 102 Sul e no Centro Metropolitano. Depois do dia 25 do mesmo mês, seguem para as estações 108 Sul e Furnas (Samambaia). Já após o dia 5 de junho, as imagens estarão nas estações 112 Sul e Águas Claras.



A cara de Brasília
Dia 10 de junho, às 20h, no Boulevard Shopping. A entrada é franca e a exposição permanecerá no local até 10 de julho. De 15/5 a 25/5, no Metrô 102/Sul e Centro Metropolitano; De 25 /5 a 5/6, no Metrô 108/Sul e Furnas (Samambaia); De 5/6 a 15/6, no Metrô 112/Sul e Águas Claras.


;As pessoas veem a capital de uma maneira muito política e burocrática. Aqui tem gente, cultura e personalidade;
Alexandre Fortes, fotógrafo

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação