Festa estrangeira ao ritmo de samba

Festa estrangeira ao ritmo de samba

» MARIANA LABOISSIÈRE
postado em 16/06/2014 00:00
 (foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

O que era para ser uma festa de maioria estrangeira se transformou em samba com um enredo bem brasileiro. Os tons verde e amarelo não se esconderam em meio às arquibancadas e o português foi ouvido claramente em gritos de guerra e canções em apoio às outras nações.

O servidor público Bruno Monteiro, 29 anos, e a bancária Aliny Gracielle Sales, 31, saíram de Palmas, Tocantins, especialmente para o jogo entre Equador e Suíça. Ambos demonstraram encantamento na primeira visita ao Estádio Nacional de Brasília. ;Fiquei arrepiado com todos cantando ;eu sou brasileiro;. Foi emocionante;, disse Bruno. ;A arena é maravilhosa e o pessoal do atendimento foi bem educado. Além disso, a organização na parte de dentro da arena não deixou a desejar. Até os banheiros estavam limpos. Enfim, tudo convergiu para um espetáculo, não uma simples partida de futebol;, completou o servidor.

A alegria do brasileiro era típica, como também descreveu o servidor público Diogo de Abreu Júnior, 47 anos. ;O Brasil não estava jogando. Mesmo assim, fizemos questão de mostrar que estávamos lá. Havia pessoas com camisas de vários times nacionais, inclusive do Vasco, para o qual eu torço. Havia crianças, famílias inteiras no estádio;. Umas das coisas que mais chamaram atenção de Júnior foi a cordialidade entre as torcidas e a segurança. ;Os rivais se misturaram e até brincaram uns com os outros. Isso é novo para a gente e foi ótimo exemplo. Não vi nenhuma confusão. Houve a possibilidade de um tumulto, com algumas pessoas jogando objetos, mas logo tudo ficou sob controle. Quase ninguém viu;, revelou.

O gerente comercial Adriano Gardini, 36 anos, estava empolgado e acredita que agora a capital entrou de vez no espírito da Copa. Essa foi a primeira das seis partidas que pretende assistir na arena. Ele foi ao campo pintado de Brazuca ; nome da bola usada nas competições do mundial ; no peito e nas costas. "Estou muito animado, acho que entramos no clima. Agora sim, está parecendo Copa do Mundo", festejou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação