Perspectiva de deficit

Perspectiva de deficit

Rosana Hessel
postado em 03/09/2014 00:00
A queda de 23,5% nas exportações brasileiras para a Argentina acendeu um alerta da perda de competitividade da indústria brasileira no seu maior mercado consumidor. O ritmo de queda é tamanho, que os especialistas começam a considerar que haverá deficit na balança deste ano, o primeiro desde 2003.

De janeiro a agosto, o saldo comercial foi de apenas US$ 500 milhões e a tendência é que ele encolha mais até o fim do ano, diante da dificuldade de os importadores argentinos conseguirem dólares para fechar as compras feitas no Brasil. Só para a indústria automobilística nacional, pares portenhos devem cerca de US$ 2,5 bilhões.

O país vizinho é responsável por mais de 80% das exportações de produtos manufaturados brasileiros, mas a competição está cada vez mais acirrada com a China. Segundo o presidente da Câmara de Comércio Argentino-Brasileira, Alberto Alzueta, os chineses estão dominando mercados antes liderados pelas empresas nacionais.

Para minimizar o problema, empresários ligados a câmara pretendem propor ao governo que estimule o pagamento em moeda local. ;Acreditamos que poderá ser um dos caminhos para não perdermos mercado para os chineses;, disse Alzueta, lembrando que, em julho, o governo de Xi Jinping ofereceu à Argentina uma espécie de linha de crédito de US$ 11 bilhões para o pagamento em pesos das exportações chinesas. O câmbio é feito por meio de um acordo entre os bancos centrais dos dois países.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação