Cidade dos mortos

Cidade dos mortos

postado em 17/09/2014 00:00
 (foto: Renato Alves/CB/D.A Press)
(foto: Renato Alves/CB/D.A Press)

A Catedral de Glasgow é uma das principais atrações locais. Consagrada em 1197, tem uma congregação de fiéis há mais de 800 anos. Originalmente católica, hoje é um templo presbiteriano. Para muitos, o edifício de pedra é um dos melhores exemplos de catedral medieval, pois sobreviveu praticamente intacto à Reforma Protestante Escocesa.

A ampla igreja de nave simples e espaçosa conserva o ar cinzento dos tempos da construção. A gótica catedral ostenta belos vitrais e pertence à coroa britânica. Importante centro de peregrinação durante boa parte da Idade Média, acredita-se que ela foi construída sobre a Igreja de São Mungo, o padroeiro da cidade.

Ao lado da catedral, fica o Museu São Mungo, sobre a vida e a arte de acordo com as diferentes religiões. Além de exposições de arte, uma das galerias explica as cerimônias religiosas, os rituais e as crenças com relação ao nascimento, o desenvolvimento pessoal dos praticantes de cada religião, o casamento e a morte.

Já atrás da catedral, sobre uma colina, fica a Necrópolis de Glasgow, a Cidade dos Mortos. Ela abriga mais de 50 mil restos mortais, dos ricos industrias do século 19 e dos familiares deles. Uma gente que fez questão de ostentar a fortuna até após a morte. Para tal, encomendou aos mais famosos arquitetos da época monumentos para cobrir os túmulos, em uma competição para mostrar quem era mais rico. (RA)




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação