Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 27/06/2015 00:00
As campeãs

No Siga Brasília, o novo portal de transparência do governo, é possível consultar as empresas que mais receberam verbas públicas em cada área. Em 2015, na segurança, a principal beneficiada é a Sitran, com repasse de R$ 11 milhões. Na educação, a primeira colocada foi a Juiz de Fora Serviços Gerais, que ganhou R$ 35,2 milhões. Já na saúde, a Sanoli, que fornece alimentação aos hospitais, venceu. O repasse foi de R$ 47 milhões. Dentro da rubrica assistência social, a empresa Universitário Restaurante, que fornece comida a bandejões e recebeu R$ 10 milhões. No urbanismo, aparece em primeiro lugar a Valor Ambiental, que realiza coleta de lixo no DF e recebeu R$ 67 milhões só este ano.




Gasto diário

No aplicativo, também é possível consultar a despesa diária do governo. Entre 25 e 26 de junho, por exemplo, o governo gastou R$ 25 milhões. Empresas de produtos hospitalares estavam entre as principais beneficiadas naquela data.




Depoimento marcado

O conselheiro Domingos Lamoglia, do Tribunal de Contas do DF, vai prestar depoimento em 27 de agosto no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O ministro Luís Salomão, relator da denúncia contra Lamoglia, relacionada à Operação Caixa de Pandora, marcou para esse dia também a oitiva das testemunhas de defesa.




Rollemberg nas alturas

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) e a primeira-dama, Márcia Rollemberg, viram Brasília de cima na noite de quinta-feira durante jantar, com os filhos, na plataforma montada ao lado do Teatro Nacional para jantar a 50 metros de altura ; batizada de ;Dinner in the sky;. O evento é organizado pelo Pátio Brasil Shopping.




Na planície, outro clima

Pela imagem retratada pelo casal, a cidade estava tranquila, numa noite fria. Nada comparado com o clima quente da planície, onde distritais tentam colocar fogo nas relações com o Executivo. Ontem à tarde, Rollemberg falou sobre a crise com o vazamento de conversas em seu gabinete: ;Não há motivo para CPI. Não acredito que isso vá prosperar e não tenho preocupação nenhuma com as conversas que tenho no Buriti. A agenda da cidade não é essa e sim a melhoria dos serviços públicos e as políticas de desenvolvimento;.





Eu recomendo

Roberval Belinati, Desembargador do Tribunal de Justiça do DF

;Eu recomendo ao Senado que siga o exemplo da Câmara dos Deputados e também aprove o PL n; 7.920/14, na sessão do próximo dia 30, garantindo aos servidores do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT) e do Judiciário da União o aumento dos seus vencimentos, há nove anos corroídos pela inflação, sem recomposição. Seria a solução para pôr fim à greve dos servidores, que está paralisando o Judiciário, e fazer justiça à categoria funcional que não está suportando mais a defasagem salarial e o descaso do governo federal.;




À QUEIMA-ROUPA

Cristiano Araújo, Deputado distrital (PTB)

Como é ser homônimo do cantor que passou por tragédia nesta semana?
Foi estranho, porque algumas pessoas me ligaram para saber se eu estava bem. Depois fiquei bem triste com o que aconteceu.

l l l

Pelo cargo de deputado distrital, você é conhecido em todo o DF. Alguém se confundiu com a notícia?
Muitos políticos me ligaram. Até estranhei, porque não sabia, logo de manhã cedo. O (Rogério) Rosso me ligou perguntando se estava tudo bem. O deputado Michel também. Queriam saber se era comigo.

l l l

Você é fã do seu xará?
Sou fã. Gosto muito. Fui a shows. Ele começou com Bará Berê. Ele era um cara jovem que estava crescendo profissionalmente. Gostava dele até pelo nome (risos). Eu mesmo brincava. ;Aqui é o Cristiano Araújo. O deputado. Não o cantor;.

l l l

Falando de política, você estava na famosa reunião dos grampos?
Estava, mas não falei nada.

l l l

Acha grave que as conversas tenham sido gravadas e divulgadas?
Acho gravíssimo. Partimos do pressuposto de que no gabinete do governador estamos num ambiente de segurança para tratar dos assuntos da cidade. Arapongagem é um absurdo. A gente não sabe quem fez, quem mandou fazer, mas acredito que seja do Executivo.

l l l

Com que intuito?
De fragilizar os deputados. Já existia uma relação difícil entre os poderes e agora foi totalmente abalada. Confiança é a base de toda relação, e foi atingida.

l l l

O governo terá um segundo semestre difícil na Câmara?
A situação de Brasília é muito complicada. Seria difícil para qualquer governador. Quanto aos projetos de aumento de arrecadação, sou contra qualquer tipo de aumento de imposto.

l l l

Qual é a sua posição em relação ao governo?
Estou na base de governo, participo do governo, com a indicação do administrador do Riacho Fundo 1, mas tenho feito as minhas críticas do que
considero errado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação