Mais um vexame internacional

Mais um vexame internacional

Pela primeira vez em 24 anos o Brasil está fora de duas finais seguidas. Colorado cai aos gritos de "olé"

Marcos Paulo Lima
Marcos Paulo Lima
postado em 23/07/2015 00:00
 (foto: Alfredo Estrella/AFP)
(foto: Alfredo Estrella/AFP)


Quarto colocado em casa na Copa com direito a 7 x 1 na semifinal e 3 x 0 na decisão do terceiro lugar. Eliminado duas vezes consecutivas pelo Paraguai nas quartas de final da Copa América. Fora da decisão da Libertadores por dois anos seguidos pela primeira vez em 24 anos. O futebol brasileiro deu ontem mais uma prova de que vive uma das piores fases de sua história. A eliminação do Internacional diante do Tigres, do México, não é o fracasso de um clube, mas de um país que não cansa de apanhar calado da própria prepotência. Os gritos de ;olé; ao término da partida eram o resumo perfeito do domínio exercido pelo time mexicano.

Dos 10 elencos mais caros da Libertadores deste ano, cinco são brasileiros. Quatro deles dominavam o ranking ; Cruzeiro, São Paulo, Atlético-MG e Corinthians. Sétimo no ranking, o Inter era a última esperança verde-amarela. Venceu a partida de ida por 2 x 1 no Beira-Rio, mas ontem não suportou a pressão, o calor infernal na cidade de Monterrey e o futebol sufocante do Tigres. Indeciso na escalação do time, o técnico uruguaio, Diego Aguirre, teve a sua parcela de culpa no vexame. Deixou Eduardo Sasha no banco, apostou em Lisandro López, posicionou mal os meias D;Alessandro e Valdivia e não contava com o vexame de Geferson em um gol contra.

O Tigres abriu o placar aos 17 minutos do primeiro tempo. O alemão Jürgen Damm dominou a bola pela direita, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro. Arévalo Rios atrapalhou William na marcação e a bola sobrou para o centroavante francês Gignac cabecear forte para o fundo da rede colorada.

Quando o Inter ensaiava uma reação, sofreu um duro golpe. Em um lance bizarro, Geferson, convocado pelo técnico da Seleção Brasileira, Dunga, para a Copa América, tentou dominar a bola e chutou de canela para dentro da rede do goleiro Alisson. Adiantado, o goleiro não conseguiu impedir o desastre.

O Tigres poderia ter despachado o Inter aos quatro minutos do segundo tempo, em um pênalti desperdiçado por Rafael Sobis, mas não fez falta. Inofensivo, o colorado permitia até que o carrapato Arévalo Rios se aventurasse ao ataque. Aos 11 minutos, o uruguaio recebeu cruzamento de Rafael Sobis e fez 3 x 0. O Inter ainda diminuiu aos 43 minutos após cruzamento de Eduardo Sasha para Lisandro López, mas era tarde demais.

River Plate e Tigres decidem a Libertadores em uma final inédita. Como a América do Sul não pode ser representada por um clube mexicano no Mundial de Clubes, o time argentino está classificado para o torneio que já tem Barcelona, América do México e Auckland City garantidos. O torneio será disputado no fim do ano, no Japão.

FICHA TÉCNICA

Tigres 3
Guzmán; Torres, Rivas, Juninho e Jiménez; Arévalo, Pizarro, Aquino (Álvarez) e Damm (Lugo); Rafael Sobis e Gignac
Técnico: Ricardo Ferreti

Internacional 1
Alisson; William (Rafael Moura), Ernando, Juan e Geferson; Rodrigo Dourado, Aránguiz, D;Alessandro e Valdivia (Alex); Nilmar (Eduardo Sasha) e Lisandro López
Técnico: Diego Aguirre

Gols: Gignac, Geferson e Arévalo Rios (T), Lisandro López (I)
Cartões amarelos: Torres (T) e Rodrigo Dourado (I)
Público: 42 mil pagantes
Renda: não divulgada
Árbitro: Carlos Vera Rodríguez

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação