Brasília-DF

Brasília-DF

Denise Rothenburg deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 27/04/2016 00:00


Operação terra arrasada


Se até a semana passada o Diário Oficial da União vinha recheado de nomeações, a onda agora no governo é exonerar. Em ministérios como Fazenda, Cultura, Desenvolvimento Social e até Agricultura, a ideia é demitir técnicos nomeados para tocar o barco da administração. Está tudo em fase de preparação para que, quando o vice-presidente Michel Temer assumir no papel de interino, em meados de maio, os novos ministros indicados por ele cheguem para trabalhar e não tenham equipe. Assim, levará um tempo para conseguir as informações e colocar a casa em ordem. Para quem precisa chegar já mostrando serviço e não pode queimar a largada, será um problema a mais.

Em tempo: na Agricultura, uma das nomeações foi a de Arno Jerke Júnior para a diretoria da Conab. Júnior é padrasto da neta da ministra Kátia Abreu.


A bola é de Temer I
O PSDB planeja devolver ao vice-presidente, Michel Temer, a prerrogativa de dizer se o partido deve ou não participar do governo. Para isso, vem aí um documento de princípios e valores em que os tucanos pregarão a decência e a eficiência, colocando-se a favor de ajudar o Brasil. Se com cargos ou sem, caberá a Temer definir. ;Não há como o PSDB fugir das suas responsabilidades. Precisamos estar disponíveis para auxiliar o país, se formos chamados. Onde e quem? Caber ao Temer definir;, afirma o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES).


A bola é de Temer II
Os tucanos, entretanto, não deixarão de dar seus pitacos. O senador Paulo Bauer (PSDB-SC), por exemplo, pediu que constasse entre os princípios algo mais geral, como redução de ministérios e o não aumento da carga tributária.


Salário mínimo intacto
O vice-presidente, Michel Temer, foi aconselhado a não mexer na atual regra de correção do valor do salário mínimo. É que a legislação atual determina a correção pela variação do PIB de dois anos anteriores. No caso, 2014, mais a inflação. No ano que vem, a correção será apenas pela inflação, porque o PIB foi negativo. Se alguém reclamar, Temer pode mandar falar com o PT, que propôs essa legislação.


Baiano combustível
As afirmações do lobista Fernando Baiano ontem ao Conselho de Ética sobre acordo para pagamento de propina a Eduardo Cunha podem até não ser usadas no processo em curso. Mas vão enfraquecer perante a Câmara a perspectiva de transformar o relatório que pede a cassação de mandato em suspensão e ou advertência, como planejam aliados do presidente da Casa.


CURTIDAS
Foi combinado I/ Organizadores do seminário do Instituto de Direito Público (IDP) descobriram essa semana que a manifestação na porta da Faculdade de Direito foi promovida a pedido de militantes petistas no Brasil e, a pedido dos estudantes, contou com o apoio do professor Boaventura de Souza Santos, diretor do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e coordenador de diversos programas de doutorado, inclusive Democracia no Século XXI.

Foi combinado II/ Eles tiveram acesso à troca de e-mails entre estudantes do Porto e da Universidade de Coimbra que fizeram reuniões com petistas brasileiros interessados em fretar um ônibus do Porto para Lisboa e pediram apoio do professor. Boaventura lembra que o seminário estava programado há tempos, mas presta solidariedade aos estudantes.



O que vale para a Supremo.../ O governo tentou de tudo para evitar que Antonio Anastasia assumisse a relatoria do processo de impeachment na comissão especial, por ser do PSDB. Terminou desistindo quando o senador Magno Malta (foto) lembrou que o ministro Antonio Dias Toffoli tinha sido da AGU no governo Lula e ainda assim não teve qualquer impedimento para julgar o processo do mensalão.

Começou/ No plenário do Senado, os aliados de Dilma Rousseff já falam em antecipação das eleições. Para muitos é a senha para dizer que a presidente já está ciente de que o período agora é de contagem regressiva.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação