O início da Guerra!

O início da Guerra!

Spin-off de Star wars, Rogue one chega aos cinemas hoje para contar o que houve antes do primeiro filme da saga de George Lucas

» Alexandre de Paula Especial para o Correio
postado em 15/12/2016 00:00
 (foto: Reprodução/Internet)
(foto: Reprodução/Internet)



Antes de surgir uma nova esperança, antes de o Império contra-atacar e muito antes de acontecer um novo despertar da força, um grupo de rebeldes foi responsável por fazer com que fosse possível sonhar em derrotar o lado negro da Força. É a história desses rebeldes que move Rogue one, o primeiro spin-off de Star wars, que chega aos cinemas hoje.

O longa se passa antes do início cronológico da saga de George Lucas, Uma nova esperança (de 1977), e conta como foram roubados os planos de construção da Estrela da Morte. A superarma, construída pelo Império, era capaz de fazer planetas se tornar pó e foi destruída com o tiro certeiro de Luke Skywalker no longa de 1977.

Mas, antes de Skywalker usar os poderes místicos da força para garantir que o tiro acertasse o lugar certo e explodisse a arma, foi preciso estudá-la a ponto de conhecer todos os pontos fracos. E isso só foi possível porque os rebeldes tinham em mãos o projeto de construção.

Em Rogue one, os fatos até então nebulosos ficam claros e é possível ver como os rebeldes roubaram o projeto e de que maneira o Império construiu a tão temida arma. Por isso e pelas referências aos clássicos, o filme tem tudo para levar à loucura os fãs da saga, mas pode ser pouco atrativo para quem nunca passou perto das obras-primas de George Lucas.



A protagonista


Assim como em O despertar da força (2015), uma mulher (interpretada nas duas situações por atrizes inglesas) é a personagem principal do longa. Em Rogue one, Felicity Jones é Jyn Erso, líder do grupo rebelde que vai atrás do projeto da Estrela da Morte.

Em entrevista sobre o filme, a atriz contou que treinou kung fu para o papel e que sabia muito pouco sobre Jyn quando aceitou o papel. ;Mas sabia que ela ia ser uma personagem extraordinária porque minha agente disse: ;Acho que você realmente vai gostar de fazer este papel;. E ela fez jus à palavra;, disse.

Mesmo sem a presença de jedis, Rogue one mantém viva a Força, tão importante para o universo de Star wars. Felicity comentou que a protagonista é prova disso. ;Ela com certeza tem a Força dentro de si. É o legado de sua mãe, na verdade, e para Jyn a Força tem mais a ver com crença e esperança.;

A crítica


Antes de chegar, de fato, aos cinemas, Rogue one foi exibido para críticos e convidados. O spin-off dividiu opiniões dos críticos, mas ficou claro que, se o filme não será um dos pontos altos do universo de Star wars, também não chegará perto dos piores momentos da saga.

Parte do time que gostou do longa, a revista Rolling Stone elogiou principalmente a atuação de Felicity Jones. ;Com a esmagadora Jones nos entregando uma guerreira para se equiparar com as grandes e um elenco que sabe dar realismo até em uma fantasia de ficção-científica, Rogue one se prova como uma história de Star wars que merece ser contada.;

Já para o New York Times o filme passou longe de agradar. ;Rogue one não persuadirá o público de nada a não ser do poder da marca Star wars. A única força que funciona aqui é a força do hábito.;

Um filme de guerra


Rogue one tem muito menos presença mística do que os longas da saga original. Tanto que o diretor Gareth Edwards, chegou a confirmar que se inspirou mais em filmes de guerra do que nos próprios episódios de Star wars. ;O mais complicado foi fazer algo que parecesse um Star wars sem ser de fato. Como se passa em uma realidade sem a mágica jedi, mais realista, me inspirei mais em filmes de guerra do que nos da franquia original. Uma de minhas referências foi Apocalypse now;, revelou.

Na linha do tempo


Para entender em que posição Rogue one se situa no universo de George Lucas, é preciso lembrar que o cineasta começou a série pelo quarto episódio, depois vieram o quinto e o sexto. Anos depois, foram lançados em sequência os capítulos I, II e III e, em 2015, o sétimo. Rogue one se passa no espaço entre os acontecimentos do episódio III e IV.

Os rebeldes


Jyn Erso

Protagonista do filme, ela será líder do grupo e foi convocada pela Aliança Rebelde para comandar a missão

Cassian Andor
Oficial de inteligência da Aliança Rebelde. Nos livros e quadrinhos, ele fica responsável por monitorar as decisões de Erso

Chirrut ;mwe
Cego, Chirrut é um monge espiritual, que, apesar de não ser Jedi, acredita piamente nos poderes da Força


Baze Malbus
Ele é um assassino de aluguel, amigo de Chirrut, que se une à Aliança Rebelde depois de ver os desmandos do Império em seu planeta

Bodhi Rook

Piloto da Aliança Rebelde e desertor do Império, vai auxiliar na missão de roubar os projetos de construção da Estrela da Morte

Lado negro


Darth Vader
Um dos mais importantes personagens de toda saga, o Lorde Sith vai aparecer em Hogue one. Apesar de ter pequenas participações, as aparições de Vader no longa são intensas.

Orson Krennic
Principal vilão de Hogue, Orson Krennic é um oficial do Império que defende, com obsessão, a construção da Estrela da Morte. Ele comanda os Death Troopers (aparentemente uma espécie de Stormtroopers com uniformes pretos)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação