Escândalos e punições

Escândalos e punições

postado em 19/04/2017 00:00
 (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press - 4/8/15)
(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press - 4/8/15)

Joaquim Roriz
O ex-governador ficou inelegível depois de renunciar ao Senado, em 2007, para escapar da cassação. Ele havia sido denunciado no escândalo conhecido como Bezerra de Ouro. Roriz abriu mão do mandato de senador depois que se abriu investigação por causa da partilha de um cheque de R$ 2,2 milhões ; o documento continha a assinatura de Nenê Constantino, fundador da Gol Linhas Aéreas. O caso veio a público durante a Operação Aquarela, da Polícia Civil do Distrito Federal. A ação desmontou um suposto esquema de desvio de dinheiro do Banco de Brasília (BRB). Durante a apuração do caso, a corporação flagrou uma conversa na qual Roriz e o ex-presidente do BRB Tarcísio Franklin de Moura tratavam da divisão da cifra milionária. A origem do dinheiro sacado em uma agência do BRB seria um cheque de Constantino. À época, o ex-governador do DF alegou que parte do dinheiro seria usado para a compra de uma bezerra.
Liliane Roriz
A deputada distrital do PTB foi condenada pelo Tribunal Regional Eleitoral por compra de votos e fraude eleitoral nas eleições de 2010. A ação, movida pelo Ministério Público Eleitoral, acusa a parlamentar de oferecer vantagens indevidas a eleitores e de não ter declarado, na prestação de contas da campanha, despesas com apoiadores que trabalharam para ela. A pena pela condenação foi de 4 anos, 5 meses e 8 dias de reclusão em regime semiaberto e 60 dia-multa, o que equivale a um salário mínimo à época do crime, em 2010. No total, portanto, ela tem de pagar R$ 30,6 mil. A pena deve ser convertida em prestação de serviços à comunidade. Se não conseguir reverter a decisão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até 2018, também deve ter a candidatura impugnada. Liliane pode perder o atual mandato caso seja protocolado e aberto um processo por quebra de decoro na Câmara Legislativa.
Jaqueline Roriz
A ex-deputada federal ficou inelegível, em 2013, após ser condenada em primeira instância, em uma ação de improbidade, por envolvimento nas denúncias do escândalo da Operação Caixa de Pandora. Ela e o ex-governador José Roberto Arruda (PR) foram acusados por suposta ligação no esquema do Mensalão do DEM. O marido da parlamentar, Manoel Costa de Oliveira Neto, e Durval Barbosa também foram considerados culpados. Segundo a denúncia, ;as quantias em dinheiro entregues tinham por objetivo garantir apoio político da então candidata à Câmara Legislativa do Distrito Federal Jaqueline Maria Roriz ao candidato a governador José Roberto Arruda;, apesar de Jaqueline apoiar a ex-governadora Maria de Lourdes Abadia (PSDB) e ter feito campanha contra Arruda.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação