Tálamo, o maestro da retenção de memória

Tálamo, o maestro da retenção de memória

postado em 04/05/2017 00:00
 (foto: Michael Halassa, M.D., Ph.D., NYU Langone Medical Center/Divulgação)
(foto: Michael Halassa, M.D., Ph.D., NYU Langone Medical Center/Divulgação)



Por muito tempo subestimada pelos cientistas, uma estrutura em formato oval que fica no centro do cérebro desempenha um papel crucial no circuito do pensamento. Três estudos em ratos financiados pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos revelam que o tálamo é responsável por distinguir categorias e armazenar pensamentos na mente. Ao manipular a atividade dos neurônios dessa região, os pesquisadores conseguiram controlar a capacidade dos animais de recordar como encontrar uma recompensa. No futuro, o tálamo pode, inclusive, se tornar um alvo para intervenções que reduzam deficits cognitivos em distúrbios psiquiátricos como a esquizofrenia, disseram os cientistas.

;Se o cérebro trabalha como uma orquestra, nossos resultados sugerem que o tálamo é o maestro;, explica Michael Halassa, pesquisador do Centro Médico Langone, da Universidade de Nova York. ;Ele ajuda a sincronizar os neurônios, impulsionando a conectividade funcional;, diz. Os estudos independentes foram publicados nas revistas Nature e Nature Neuroscience.

Os três grupos de cientistas investigaram um circuito que conecta a parte média e superior do tálamo com o córtex pré-frontal, o centro do pensamento e de tomada de decisões do cérebro. Estudos de imagem detectaram uma diminuição da conectividade nesse circuito em pacientes com esquizofrenia, que geralmente têm problemas com a memória de trabalho, também chamada de memória de curto prazo.

Halassa e os demais pesquisadores descobriram que os neurônios no tálamo e no córtex pré-frontal parecem se comunicar diversas vezes. Eles monitoraram a atividade neural de ratos que desempenhavam uma tarefa, que exigia deles memorizar informações sobre categorias, de forma que poderiam usá-las para escolher qual das duas portas escondiam uma recompensa.

Ao suprimir a atividade neuronal no tálamo por meio de uma técnica que usa fibras ópticas, a habilidade dos ratos de escolher o local correto foi bloqueada. Ao mesmo tempo, o estímulo dessa região melhorou a performance dos animais, quanto à memória de trabalho. Isso confirmou um conhecimento prévio sobre o papel da estrutura.

Segundo Halassa, essa é a primeira vez que se detecta um papel específico na manutenção da informação nesse tipo de memória. Os pesquisadores descobriram também qual informação o tálamo ajuda a manter. Eles detectaram grupos de neurônios no córtex pré-frontal que armazenam memórias de categorias específicas de informação, que requerem fazer escolhas.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação