Amazonas escolhe novo gestor

Amazonas escolhe novo gestor

HAMILTON FERRARI ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 06/08/2017 00:00



Hoje os amazonenses terão de retornar às urnas para eleger um novo governador, depois que a chapa de José Melo (Pros) teve o mandato cassado acusado de compra de votos na campanha de 2014. A expectativa é de que o novo pleito custo R$ 18 milhões no primeiro turno e R$ 14 milhões em um eventual segundo turno. Além do Amazonas, três municípios têm votações para eleger prefeitos marcadas para este domingo: Miguel Leão (PI), Primeiro de Maio (PR) e Nova Fátima (PR). Só neste ano, 37 eleições suplementares já foram realizadas. Até o fim do ano, mais três devem acontecer. Estão marcadas para 3 de setembro em Abelardo Cruz (SC), Mombuca (SP) e Mairinque (SP), com previsão de gastos de R$ 684,3 mil.

No Amazonas, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), serão utilizadas sete mil urnas eletrônicas. Além disso, 23 municípios terão apoio de 4,4 mil agentes das Forças Armadas. O Ministério da Defesa não informou o custo com a operação. Disputam o governo oito nomes: o ex-gestor Amazonino Mendes (PDT); o senador Eduardo Braga (PMDB); o ex-deputado federal Marcelo Serafim (PSB); a ex-deputada federal Rebecca Garcia (PP); Jardel (PPL); José Ricardo (PT); Liliane Araújo (PPS); Luiz Castro (Rede); e Wiker Barreto (PHS).

Em julgamento em 4 de maio, o TSE cassou o ex-governador José Melo e o Henrique Oliveira (SD) por 5 a 2. A decisão de afastamento ocorreu antes mesmo da publicação do acórdão. Leonardo Ranna, advogado em processo civil, explica que o novo governador só tomará posse depois que os embargos de declaração forem julgados pelo TSE. ;A Corte ainda não examinou os embargos. A decisão que antecipa a votação. Após a apreciação, o novo governador poderá assumir;, explicou.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação