Filas diminuem e postos preveem normalização

Filas diminuem e postos preveem normalização

Revendedores estimam que até amanhã abastecimento estará regularizado no DF. Mais de 5 milhões de litros de gasolina, etanol e diesel chegaram ontem à capital

» VERA BATISTA
postado em 01/06/2018 00:00
 (foto: Luís Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luís Nova/Esp. CB/D.A Press)


O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicombustíveis/DF) estima que, até amanhã, o abastecimento estará normalizado no Distrito Federal. No feriado de ontem, no entanto, consumidores ainda tinham de esperar entre 20 minutos e 40 minutos nas filas e grande parte dos postos não tinha todos os produtos (gasolina, diesel e etanol). Alguns continuavam fechados, por falta de combustível. ;Ainda há muita demanda reprimida. Até sábado, a situação estará regularizada. As distribuidoras privilegiam as bandeiras com contratos de exclusividade, por isso, alguns postos de bandeira branca (sem vinculação) não funcionaram. Mas também voltarão logo a ser atendidos;, afirmou Elisa Schmitt, presidente do Sindicombustíveis/DF.

Ontem, muita gente ainda teve de percorrer longas distâncias para encontrar filas menores e o combustível desejado. Rayanne Costa veio do Guará e só achou etanol no Sudoeste. ;Rodei muito até encontrar. Parei em mais de 10 postos. No caso do álcool, ou não tinha chegado ou já tinha acabado. Tive medo de não conseguir. Mas aqui, não demorei mais de 40 minutos;, assinalou. No Sudoeste, os preços da gasolina eram de R$ 4,82, a comum, e de R$ 4,92, a aditivada (em falta). O óleo diesel comum saía a R$ 4,14 e o etanol, a R$ 3,59.

Boca a boca

No Setor Hoteleiro Sul (SHS), havia somente etanol (R$ 3,99) e diesel (R$ 4,39). Nos postos da Asa Sul, os consumidores aguardavam em média 20 minutos. Lídia Caldeira, moradora da 305 Sul, descobriu que não estava tão difícil obter combustível quanto na semana passada e foi até ao revendedor perto de casa. ;Meu irmão olhou o movimento e me avisou. Estamos usando a informação boca a boca. Quando um descobre onde está melhor, aciona o outro;, destacou. Rodrigo Maica, do Jardim Botânico, também estava feliz com o tanque cheio. Antes de chegar à Asa Sul, ele rodou por várias horas para encontrar uma fila menor.



;Ontem, tentei lá no Jardim Botânico, pelo Plano Piloto e no Lago Sul. Fiquei em várias filas, cada uma por mais de duas horas, sem sucesso. Hoje, até que foi rápido;, comemorou. O posto do SHS, de acordo com o chefe de pista Jailson Rodrigo da Silva, teve os tanques carregados pela manhã e teria nova reposição no fim da tarde. ;Acho que não vai faltar combustível. Já fui avisado de que tem outro caminhão vindo para cá;, contou. No posto, a gasolina comum era vendida por valores diferenciados: R$ 4,75 no cartão de débito ou R$ 4,85 no cartão de crédito ; mesmo preço da aditivada.

Na Asa Norte, o casal Wagner Alves de Oliveira e Vânia Moraes de Oliveira, que mora no Setor Militar Urbano, foi feliz na tentativa. ;Perto de casa, até o início da tarde, não tinha nada nas bombas. Soube que estava para chegar. Mas, resolvemos rápido nesse posto. Fiquei apenas 30 minutos esperando;, afirmou Wagner. A gasolina comum custava R$ 4,75 (débito) e R$ 4,85 (crédito). A aditivada e o etanol estavam em falta. Já o Posto Auto Lus, na Asa Sul, estava fechado. Uma placa avisava: ;estamos sem produto;. Na Asa Norte, na quadra 503, o Posto Shell também não estava funcionando.

Ontem, o Gabinete Integrado de Acompanhamento do Governo do Distrito Federal informou que mais de 5 milhões de litros de combustível ; 3,9 milhões de litros gasolina, 193 mil de etanol e 754 mil de diesel ; chegaram aos postos de Brasília. Também foram entregues para revenda 14 mil botijões de gás de cozinha e 60 toneladas do produto para abastecer hospitais, asilos, presídios, abrigos, centros comerciais e shoppings. Para hoje, estão previstas entregas às revendedoras de pelo menos 350 toneladas de GLP a granel e em botijões. Segundo a Polícia Militar, 280 caminhões haviam saído das distribuidoras até as 17 horas.

Exército, Força Nacional e Polícia Rodoviária Federal confirmaram que não receberam mais pedidos de escolta. Corpo de Bombeiros Militar, Detran/DF, Defesa Civil e Polícia Civil não registraram ocorrências. A Caesb confirmou que o tratamento de água e esgoto segue normalmente.


  • Multas

    O Procon/DF informou que está autuando os postos de combustível do Distrito Federal que vendem o litro da gasolina a preço superior a R$ 5. Três postos foram multados ontem, totalizando nove autuações desde o início da crise provocada pela greve dos caminhoneiros. O órgão informou, em nota, que a área jurídica está preparando a aplicação de multa cautelar para hoje, e que um posto foi multado em R$ 294 mil na semana passada. ;Fiscais irão trabalhar durante o fim de semana;, avisou o Procon. ;Denúncias de consumidores podem ser feitas pelo e-mail 151@procon.df.gov.br;, completa a nota.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação