Cúpula com hora marcada. Falta o local

Cúpula com hora marcada. Falta o local

postado em 05/06/2018 00:00
 (foto: AFP)
(foto: AFP)

Em contagem regressiva para cúpula histórica com a Coreia do Norte, uma equipe da Casa Branca está em Cingapura acertando os últimos preparativos para o encontro da próxima terça-feira entre Donald Trump e Kim Jong-un, que acontecerá às 9h locais (22h de 11 de junho, em Brasília), segundo anunciou ontem Sarah Sanders, a porta-voz do governo americano. ;Estamos ativamente preparados. Sentimos que as coisas estão andando para frente e que foi feito um bom progresso;, assinalou Sanders, sem mencionar o local da reunião.

Foram enviados para o país asiático, além de militares, funcionários da área de segurança e técnicos. ;Eles estão finalizando os preparativos e permanecerão lá até que a reunião comece;, disse a porta-voz, assinalando que Trump recebe informações diárias sobre a Coreia do Norte na preparação do encontro, aguardado com grande expectativa nos EUA e no resto do mundo.

Ontem, um grupo de senadores americanos do Partido Democrata pediu a Trump que siga uma estratégia firme frente a Pyongyang para não desperdiçar uma ;oportunidade histórica;. Em carta, eles ressaltaram que o presidente não deve flexibilizar as sanções sem antes obter uma ;desnuclearização; completa e verificável por parte da Coreia do Norte. ;O presidente deve estar pronto para deixar a mesa se não houver a possibilidade de um bom acordo;, disse o líder dos senadores democratas, Chuck Schumer.

Também ontem, o ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, elogiou a iniciativa dos dois países. ;Junto à China, saudamos os avanços e os esforços que nos ajudarão a deixar para trás a falta de confiança e a confrontação e criarão um entorno saudável para (...) conseguir a desnuclearização da península coreana;, declarou Lavrov, em Pretória.

Custos
O arsenal nuclear norte-coreano e a melhora nas relações entre Washington e Pyongyang são os principais pontos da cúpula de 12 de junho, que conta com o apoio da organização de combate à proliferação nuclear Campanha Internacional para Abolir as Armas Nucleares (Ican, em inglês). Vencedor do prêmio Nobel da Paz no ano passado, o grupo se ofereceu ontem para custear o encontro, depois de relatos de que a Coreia do Norte estaria enfrentando dificuldades para arcar com essas despesas.

Trump confirmou presença na última sexta-feira, uma semana depois de ter cancelado o encontro, em decorrência do que classificou de ;hostilidade; por parte de Pyongyang. Especialistas preveem que a reunião se concentrará nos esforços dos Estados Unidos de fazer com que a Coreia do Norte abandone seu programa nuclear. A uma semana da reunião, ainda não está claro se Pyongyang está disposto a dar esse passo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação