Confira as dicas para o disputado concurso do MPU

Confira as dicas para o disputado concurso do MPU

Concurso do Ministério Público da União (MPU) tem inscrições abertas até amanhã (10). Os salários são de 6.862 para técnico e R$ 11.259 para analista

Tayanne Silva*
postado em 09/09/2018 00:00
 (foto:  Marilia Lima/CB/D.A Press)
(foto: Marilia Lima/CB/D.A Press)

O concurso do Ministério Público da União (MPU) está chegando e os interessados precisam se concentrar nos estudos. Para quem não se inscreveu, ainda dá tempo: os registros terminam nesta segunda-feira (10). O edital oferece formação de cadastro reserva e mais 47 vagas imediatas, sendo 37 delas para ampla concorrência, três para pessoas com deficiência e sete para os candidatos que se autodeclararem negros. Para a carreira de analista (direito), há 36 chances e 11 para técnico (administração). A banca organizadora é o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe/Cespe). A prova objetiva será constituída por conhecimentos básicos para todas as carreiras (língua portuguesa, acessibilidade, ética no serviço público, e legislação aplicada ao MPU e ao Conselho Nacional do Ministério Público ; CNMP), além de conhecimentos específicos para cada função. Em retificação feita na última segunda-feira (3), o Cebraspe incluiu o conteúdo promoção da igualdade racial .Quem se inscreveu para analista fará ainda uma redação discursiva, que valerá 40 pontos. A carga horária é de 40 horas semanais e as remunerações são de R$ 6.862 para técnicos e R$ 11.259 para analista.

A graduada em enfermagem Ully Batista da Silva, 25 anos, concorrerá ao cargo do nível médio para técnico do MPU (administração). ;Sempre foi o concurso que desejei! Comecei estudando para todos os certames de forma geral. Quando vi a possibilidade de o edital sair este ano, passei a me dedicar.; Atualmente, a brasiliense divide a rotina entre o trabalho de vendedora autônoma e os estudos. ;Faço cursinho preparatório presencial e cursos on-line. Eu também assisto a videoaulas, faço revisões e exercícios.; Ela explica o porquê de se inscrever. ;Ter uma carreira dentro do ministério vai me trazer oportunidade de crescimento pessoal e profissional, além de estabilidade financeira;, afirma.
;Após a divulgação do edital, me dedico somente ao MPU. Estudo três horas pela manhã e, à tarde, faço resolução de questões e leio alguns resumos;, conta. Ully prevê que enfrentará alguns desafios na avaliação. ;Desde o ensino fundamental, tenho dificuldade em direito administrativo e português;, afirma. ;Estou fazendo o que posso para passar. Sigo confiante, mesmo com dificuldades. Penso que ninguém está 100%;, pondera.

Foco na legislação
De acordo com o professor Tiago Zanolla, a disciplina de legislação do MPU é a mais fácil do certame. A grande maioria das questões deve abordar a literalidade da lei. ;Isso porque o texto da lei é mais cobrado;, afirma o docente do Estratégia Concursos. O candidato pode se deparar com uma ;pedra no sapato; no exame. ;Apesar de a maioria das questões versar sobre a literalidade, em alguns pontos as questões podem tratar da interpretação e aplicação da norma;, observa. Há ainda temas que exigem maiores cuidados. Ele enumera: ;Funções institucionais (que retratam a atividade-fim da instituição, ou seja, a razão da existência); vedações (aborda as atividades que não podem ser praticadas pelos membros da instituição); autonomia funcional, administrativa e financeira (retratam a independência da instituição perante outros órgãos, poderes e entes da federação).; O professor esclarece também que, no que tange aos princípios institucionais, é necessário saber os temas expressos (unidade, indivisibilidade e independência funcional) e implícitos (promotor natural e irresponsabilidade).

Acessibilidade
A Lei n; 13.146/2015 e suas alterações (Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência ; Estatuto da Pessoa com Deficiência) deve cair nas provas de todos os cargos. ;É destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando à inclusão social e cidadania dela;, explica o professor Júlio Oliver, do cursinho Espaço Campus. Ele observa que a legislação cobrada no edital é menor e de fácil compreensão. ;É um conteúdo rotineiro nos concursos públicos federais. Geralmente, as bancas examinadores cobram os artigos: 2;, 3;, 4;, 9;, 35; e 36;. Exigem também a parte voltada para acessibilidade dos artigos 53; ao 62; e 88; ao 91;, que abordam crimes praticados contra a pessoa com deficiência;, acrescenta. O professor sugere: ;Leia a parte introdutória do conteúdo, assista às videoaulas, faça exercícios e mapas mentais, para complementar os estudos;. De acordo com Oliver, o candidato deve ter cuidado com alguns conceitos, como a diferença do que é acompanhante e atendente pessoal, moradia e residência e medida extraordinária.

Ética no serviço público
A professora Ana Maria de Melo, do IMP Concursos, acredita que ética no serviço público é uma disciplina perigosa e que exige atenção. ;Nos concursos realizados em 2004 e 2008, o candidato fazia uma prova absolutamente conceitual. Ele decorava o decreto n; 1.171/ 1994 (o Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal) e lia situações hipotéticas sobre o assunto. Muitos, provavelmente, gabaritaram;, afirma. Segundo ela, desde 2008 o Cespe/Cebraspe entrou no campo da filosofia, o que acarreta maiores dificuldades. Agora, os interessados não devem apenas estudar o decreto, mas aprofundar o conteúdo de ética. A principal dica é entender o estilo de prova que vai enfrentar. ;O candidato deve aceitar o fato de a banca exigir dele conhecimentos filosóficos.; A outra dica da professora é relacionada aos métodos de estudos. ;Baixe provas anteriores para resolver e exercitar, além de perceber como a matéria é abordada.;

Gramática e redação
O prazo é curto e o conteúdo é extenso. A hora, agora, é de fazer exercícios. ;Resolva provas mais recentes da banca, principalmente as de 2018, porque demostram o estilo de exames do Cespe/Cebraspe;, aconselha Elias Santana, professor de língua portuguesa do Gran Cursos. Alguns temas que podem ser cobrados na prova, de acordo com o professor, são: concordância verbal, pontuação, reescrita de textos (no qual o examinador seleciona um determinado trecho e, em seguida pergunta se a refação dele está com o mesmo sentido e com a gramática correta), emprego do acento de crase. Para quem se inscreveu na carreira de analista, por exemplo, a redação

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação