De olho no Oscar

De olho no Oscar

Ricardo Daehn
postado em 13/12/2019 00:00
 (foto: Supo Mungam Films/Divulgação)
(foto: Supo Mungam Films/Divulgação)


Vencedor do prêmio de melhor direção no segmento Um Certo Olhar (do Festival de Cannes), Kantemir Balagov, aos 28 anos, tem chances fortes para cravar a oitava indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro para a Rússia, numa história de namoro da estatueta que já dura 27 anos. Uma mulher alta (o filme de Balagov) tem como produtores os mesmos que cravaram indicações para os recentes Leviatã e Sem amor. Conhecem Hollywood, e vice-versa.

Inspirado num premiado livro de Svetlana Akeksiévitch (vencedora de prêmio Nobel) chamado A guerra não tem rosto de mulher, o segundo longa de Kantemir Balagov tem como estrelas Viktori Miroshnichenko, na pele de Iya, e Vasilisa Perelygina que dá vida à personagem Masha. Em pouco mais de duas horas de narrativa, ambas têm um acerto de contas com um esperado filete de felicidade: vivem o ano de 1945 como vencedoras da luta pela vida numa Leningrado que presenciou o desfecho da Segunda Guerra.

Apesar de todos dramas experimentados pelas personagens, um dos grandes pontos de vista de Balagov foi o de defender cores vivas no desenrolar da trama de Uma mulher alta. Na corrente de jovens talentos escalados para o filme, coube à diretora de fotografia Ksenia Sereda imprimir uma atmosfera viva ; um dos aspectos mais valorizados pela crítica internacional.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação