Putin condena fim do cessar-fogo

Putin condena fim do cessar-fogo

postado em 02/07/2014 00:00


Os ministros de Relações Exteriores de Alemanha, França, Rússia e Ucrânia se reúnem hoje em Berlim, na tentativa de evitar que a crise no leste ucraniano saia do controle e mergulhe o país na guerra civil. A iniciativa se segue à retomada dos combates nas cidades ocupadas por separatistas pró-russos, depois que o presidente Petro Poroshenko pôs fim a um cessar-fogo e acusou os rebeldes de violarem a trégua. O presidente russo, Vladimir Putin, criticou a decisão do colega e advertiu sobre os riscos que a escalada de violência representam para a vizinhança. ;Precisamos de algum tipo de proteção, em torno da Europa, para que os cenários do Iraque, da Líbia, da Síria e, infelizmente, da Ucrânia, não se tornem uma doença contagiosa.;

Quando comunicou a decisão de encerrar o cessar-fogo unilateral declarado 10 dias antes, em pronunciamento feito na noite de segunda-feira, Poroshenko responsabilizou os separatistas. ;Essa decisão é a nossa resposta aos terroristas;, afirmou. ;Vamos atacar, vamos libertar a nossa terra;, prometeu. A ordem para a ofensiva entrou em vigor ontem, com o avanço das tropas de Kiev contra posições dos rebeldes perto das cidades de Lugansk, Sloviansk e Donetsk. Um comunicado da Presidência anunciou a ;primeira vitória; da nova fase da ;operação antiterrorista;, com a retomada de um posto de fronteira com a Rússia em Dovianskia. Um porta-voz separatista, porém, sustentou que os combates continuavam noite adentro em torno da posição, que ainda estaria sob controle rebelde.

A reunião de hoje em Paris deve tratar das condições para o restabelecimento do cessar-fogo e para a retomada das negociações entre as partes. Os chanceleres discutirão também o papel da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação