"Ladeira abaixo"

"Ladeira abaixo"

postado em 18/12/2015 00:00
Os ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli foram os únicos que concordaram, nas questões centrais, com o voto do ministro Luis Edson Fachin, que havia sido lido no dia anterior e desagradado ao Palácio do Planalto. Mendes, de maneira bastante contundente, partiu para o ataque. ;Estamos ladeira abaixo, sem governo, sem condições de governar;, afirmou. Ele ironizou a decisão do Supremo Tribunal Federal ao dizer que ;ninguém escapa do impeachment por cautelar, decisão liminar, se não tiver 173 votos;, disse.

O magistrado se posicionou de maneira dura contra a formação de uma chapa única, onde os líderes indicam seus integrantes. Ele justificou o voto alegando que a chapa avulsa é uma forma de escapar ao domínio da oligarquia dos partidos políticos. ;Até na ditadura militar havia chapa avulsa. Eleição tem opções. Vitaliza a democracia;, concluiu. ;Não se salva quem precisa de força política com esse balão de oxigênio dado pela Corte Constitucional;, concluiu.

Dias Toffoli alertou para a interferência do Supremo em questões internas da Câmara dos Deputados. ;Candidatura avulsa é da cultura daquela casa. Para todas as eleições daquela casa é assim;, disse.

O ministro detalhou alguns casos. ;Inocêncio Oliveira ganhou diversas vezes contra o candidato do seu próprio partido. Vamos entrar nesse tema? Estamos interferindo em matéria interna. Estamos tolhendo a soberania popular, a representação popular. É de uma gravidade imensa. É uma interferência em outro poder.; (JV)




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação