De quem é o maior prejuízo?

De quem é o maior prejuízo?

Seleções de futebol, vôlei e basquete masculinas sofrem com cortes na reta final para os Jogos. Depois de Murilo e Anderson Varejão, o goleiro Fernando Prass, com fratura no cotovelo, é trocado por Weverton, do Atlético-PR

Marcos Paulo Lima Enviado Especial
postado em 01/08/2016 00:00
 (foto: Heuler Andrey/AFP - 5/2/14)
(foto: Heuler Andrey/AFP - 5/2/14)


Goiânia ; Três esportes coletivos do Time Brasil contabilizam prejuízos causados por contusões de peças importantes das seleções de vôlei, basquete e futebol masculino na reta final dos preparativos para os Jogos Olímpicos do Rio-2016. Bernardinho alegou problemas físicos para cortar o ponta Murilo depois do vice na Liga Mundial. Rubén Magnano perdeu o pivô Anderson Varejão. Ontem, foi a vez de a CBF oficializar o que era fato no sábado à noite depois da vitória da Seleção sobre o Japão por 2 x 0 no Serra Dourada.

Com fratura no cotovelo direito, o goleiro Fernando Prass acabou cortado. O jogador será submetido a cirurgia e está fora do restante da temporada do Palmeiras. Weverton, 28 anos, do Atlético-PR, foi anunciado ontem como substituto. Assim como Prass, ele jamais havia sido convocado pela Seleção. A CBF chegou a consultar o Valencia pela liberação de Diego Alves, mas, ao que parece, não conseguiu. Weverton começa a treinar hoje com o elenco no Centro de Capacitação Física do Corpo de Bombeiros (Cecaf), em Brasília.

O prejuízo de Rogério Micale é maior do que os de Bernardinho e Rubén Magnano devido ao curto prazo de tempo para Weverton se entrosar com a zaga. Prass sabia exatamente como tudo funcionava. Além disso, era protagonista. Convocado para o lugar do experiente Anderson Varejão, diagnosticado com uma hérnia de disco, Cristiano Felício, 24, do Chicago Bulls, vai ter o papel de coadjuvante. Com 12 anos de Seleção nas costas, Murilo, 35, colecionador de duas pratas e seis Ligas Mundiais, sabe que Bernardinho pode contar com Lucarelli, Lipe e Maurício Borges ; além de Douglas Souza, em tese, o beneficiado pelo corte de Murilo.

Embora jamais tenha defendido a Seleção ; a estreia seria na quinta-feira diante da África do Sul, no Mané Garrincha ;, Fernando Prass pode ser considerado a maior perda. Aos 38 anos, era considerado por Micale a peça de equilíbrio em um elenco jovem demais para o peso de ser campeão em casa.

Antes da oficialização do corte de Prass, o técnico não escondeu a preocupação com o efeito colateral da saída do jogador mais velho da turma. ;Nós estamos muito focados no nosso objetivo. Queremos muito o Fernando, mas, se acontecer alguma coisa, a equipe vai manter o foco na competição;, disse no sábado, com a pior fisionomia desde o início dos treinos.

Depois de seis dias de suspense causado pela contusão ainda na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), Prass lamentou, em rede social, o fim do sonho olímpico. ;Eu me empenhei muito para realizar o sonho de ser jogador da Seleção Brasileira. Mas, infelizmente, não será desta vez. O exame realizado hoje (ontem) apontou uma fratura no cotovelo e não poderei disputar a Olimpíada;, escreveu.

Agenda

Veja a programação da Seleção Olímpica em Brasília
Hoje
10h30 ; treino na academia do Cecaf (Bombeiros)
16h ; treino no Cecaf (Bombeiros)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação