A nossa nova joia dos tatames

A nossa nova joia dos tatames

Aos 17 anos, Matheus Takaki supera rivais mais velhos e ganha a única medalha de ouro de Brasília no Campeonato Brasileiro adulto

postado em 13/11/2017 00:00
 (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)
(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)

Pouco menos de seis décadas de existência já foram suficientes para transformar Brasília em um dos principais celeiros do judô nacional. Os atletas nascidos na cidade conquistaram, juntos, uma medalha olímpica, seis mundiais e seis pan-americanas ; mérito de Luciano Corrêa, Érika Miranda e Ketleyn Quadros, que consagraram a modalidade na capital. O herdeiro do trio parece ter aparecido. Matheus Takaki, aos 17 anos, subiu ontem mais um degrau ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato Brasileiro de Judô, disputado em Lauro de Freitas (BA), na região metropolitana de Salvador.


Para subir ao lugar mais alto do pódio, o jovem superou na final o paulista Luiz Cláudio Lima Júnior, de 23 anos. Matheus compete na categoria superligeiro (até 55kg) e, nas últimas semanas, se destacou como uma das principais promessas do esporte. A conquista na Bahia confirma a boa fase do rapaz brasiliense ; em 23 de outubro, ele conquistou o Campeonato Sul-Americano no mesmo peso.


A categoria superligeiro não está nas Olimpíadas. O peso mais leve no programa dos Jogos de Tóquio, em 2020, é o ligeiro, para atletas de até 60kg. Ainda assim, o brasiliense tentará uma vaga olímpica nos próximos anos, pois a confederação avalia que os bons resultados recentes podem aumentar a confiança do rapaz para a mudança. Os treinadores acreditam que Matheus precisa engordar ao menos 4kg.
O mais jovem campeão brasileiro e sul-americano deste ano treina na Academia Espaço Marques, de Taguatinga, escola criada há apenas 10 anos, mas que já tem história no judô. Lá, por exemplo, surgiu Ketleyn Quadros, medalhista de bronze em Pequim-2008, primeiro pódio da história do Brasil no judô feminino. O jovem está sob comando de Robert Marques, treinador das categorias de base da Seleção entre 2009 e 2011.

Vice-campeão
O primeiro judoca brasiliense a ganhar uma medalha em Mundiais também chegou, ontem, às finais do Campeonato Brasileiro. Aos 34 anos, Luciano Corrêa terminou com a medalha de prata na categoria meio-pesado (até 100kg), perdendo a final para o gaúcho Renan Nunes, líder do ranking nacional.


A principal mudança no ranking após as lutas desta semana foi no peso ligeiro feminino. A liderança foi retomada pela piauiense Sarah Menezes, campeã olímpica em Londres-2012, que ontem derrotou a carioca Larissa Farias no golden score. Por voltar ao topo da categoria, ela terá vaga garantida na Seleção Brasileira na próxima temporada.

Os campeões de Brasília

Érika Miranda
; Ouro no Pan-Americano em 2015
; Prata no Pan-Americano
em 2007 e 2011
; Prata no Mundial em 2013
; Bronze nos Mundiais
em 2014 e 2015

Ketleyn Quadros
; Bronze nas Olimpíadas em 2008
; Ouro nos Jogos Sul-Americanos
em 2010
; Ouro na Universíade em 2013

Luciano Corrêa
; Ouro no Mundial em 2007
; Bronze no Mundial em 2005
; Ouro no Pan-Americano
em 2011 e 2015
; Bronze no Pan-Americano
em 2007
; Bronze na Universíade em 2003

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação