Kim aceita encontro na fronteira

Kim aceita encontro na fronteira

postado em 06/01/2018 00:00
 (foto: AFP - 24/12/17)
(foto: AFP - 24/12/17)


Depois de um intervalo de três anos, representantes de Seul e de Pyongyang voltarão a conversar, na próxima terça-feira, na Casa da Paz de Panmunjom, na fronteira entre as duas Coreias. O regime de Kim Jong-un aceitou ontem a oferta de diálogo, em um comunicado, enviado por fax e assinado por Ri Son-Gwon, chefe do Comitê norte-coreano para a Reunificação Pacífica da Coreia.

Em Seul, o porta-voz do Ministério da Unificação, Baek Tae-Hyun, declarou que as negociações se concentrarão principalmente nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul, entre 9 e 25 de fevereiro, e na ;questão da melhoria das relações intercoreanas;.

A retomada do diálogo acontece após dois anos de aumento da tensão na península, durante os quais a Coreia do Norte realizou três testes nucleares e multiplicou os lançamentos de mísseis. Nesse período, Pyongyang celebrou o fato de ter alcançado seu objetivo militar de ser capaz de lançar um ataque nuclear contra o conjunto do território continental americano.

No discurso de ano-novo, Kim Jong-un chegou a advertir que tem um botão nuclear em seu gabinete, mas ao mesmo tempo estendeu a mão ao sul, ao afirmar que poderá enviar sua equipe aos Jogos de Inverno. Seul respondeu com o convite para o encontro. As duas Coreias restabeleceram posteriormente sua conexão telefônica, suspensa desde 2016.

Em outra demonstração de apaziguamento, os presidentes sul-coreano, Moon Jae-In, e americano, Donald Trump, concordaram em adiar os exercícios militares conjuntos previstos para após os Jogos de Inverno. A tensão na península sempre aumenta durante as manobras, que Pyongyang considera uma preparação para a invasão.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação