Visto, lido e ouvido

Visto, lido e ouvido

Jovens no comando

Desde 1960 Circe Cunha (interina) / circecunha.df@dabr.com.br
postado em 24/09/2019 00:00
Juntando as peças do imenso e delicado quebra-cabeça que formam o momento histórico atual, é possível vislumbrar o que parece ser um novo fenômeno mundial que se desenha no vácuo do poder deixado pelo descrédito inédito da maioria dos líderes políticos nesta segunda década do século 21. A instantaneidade das informações, propiciada pelas redes de computadores, e a relativa liberdade no fluxo de mensagens estão ligando jovens na maioria dos países, em tempo real, em prol do que se percebe como a salvação urgente do planeta. As manifestações que ocorrem em diversos países do Ocidente têm dois elementos em comum: são formados por jovens de todas as idades, imbuídos por um desejo sincero de salvar a Terra, e por extensão, a humanidade do que é considerado, por muitos cientistas, a maior encruzilhada experimentada desde o seu surgimento das pessoas sobre a Terra.

Na verdade, são eles que herdarão essa Terra que está degradada por um modelo de exploração que não prevê futuro algum à frente. A descrença crescente que marca muitos dos atuais líderes políticos dessa parte do globo tem aberto caminhos por onde os jovens vão tomando a liderança de um movimento que não pode aguardar mais soluções burocráticas e atreladas a uma agenda puramente econômica. A questão é de sobrevivência. Por causa disso, os jovens em boa parte do mundo perceberam que o tempo político é por demais elástico para acompanhar os acontecimentos que vão num crescendo alarmante e, por isso, pretendem assumir o protagonismo dessa questão. Obviamente, os políticos, com receio de seus embustes, fazem orelhas moucas às reivindicações, considerando-as apenas mais uma manifestação sem lastro. Parece que, dessa vez, os políticos estão errando em suas avaliações.

Muitos daqueles que acompanham as manifestações acreditam estar assistindo ao ponto de inflexão na questão ambiental. De fato, o que se sabe, a essa altura dos acontecimentos, depois que imagens que correm o planeta mostrando incêndios devastadores, inundações, desmatamento, desaparecimento de geleiras e de muitas espécies de animais e plantas, é que na maioria dos países desenvolvidos, as manifestações em prol da preservação do meio ambiente estão tirando o sossego dos líderes políticos, ameaçando os governos e fazendo os eleitores a se afastarem da velha agenda e de seus postulados. Pela proporção que os fatos ligados à sobrevivência do planeta ganharam em muitos países, não só os políticos foram ofuscados e tornados obsoletos, mas muitos organismos que lhes serviam de palanques perderam a luz própria. O movimento Fridays for Future parece ter tomado a dianteira e a agenda de fato dessa questão. Num mundo interligado, atento e atônico com o próprio futuro, os velhos líderes perderam o rumo e a capacidade de conduzir. Até mesmo as organizações não governamentais parecem fazer papel de plateia e figurantes para a nova geração que quer agora a direção e o comando do planeta.


A frase que foi pronunciada

Aprendi o silêncio com os faladores, a tolerância com os intolerantes, a bondade com os maldosos. E, por estranho que pareça, sou grato a esses professores.

Khalil Gibran, filosofo libanês


BTS

; Foi uma grande ideia aproveitar o nicho de passageiros no setor de clubes. Com contratos de fretes, a empresa faz parceria com diversas instituições localizadas naquela área.


Vigilância

; É comum ver carros da Polícia Judiciária rondando os estacionamentos dos tribunais, uma vez que a arquitetura favorece uma longa caminhada dos funcionários. Como o fim do expediente é à noite, a área é bastante vulnerável.


Clubes

; Assefe aproveitou bem a área do clube dos funcionários do Senado para instalar a creche. Ambiente maravilhoso para o desenvolvimento da criançada. Fica o exemplo para outras associaçoes.


História de Brasília

A Praça Municipal, agora, é depósito de lixo. Fizeram um horror. Roubaram a Loba Romana, e o buriti do dr. Israel morreu. Ninguém fez nada para lembrar uma época de Brasília.

(Publicado em 30/11/1961)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação