Sem lugar para vandalismo

Cidades históricas mineiras montam estrutura para proteger seu patrimônio durante a folia, com a contratação de segurança particular e instalação de câmeras de vigilância

Tiago de Holanda
postado em 19/02/2014 00:00
 (foto: Tulio Santos/EM/D.A Press - 27/1/14)
(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press - 27/1/14)

A menos de duas semanas do carnaval, municípios mineiros se preparam para evitar que o patrimônio histórico sofra com atos de vandalismo. Em Tiradentes, no Campo das Vertentes, a prefeitura afirma que pela primeira vez decidiu cercar com grades edificações tombadas. A mesma medida será tomada, com a utilização de tapumes, em Ouro Preto e São João del-Rei, que planeja instalar câmeras de vigilância e contratar 50% mais seguranças particulares que em 2013.

A Prefeitura de Tiradentes espera receber 12 mil visitantes durante o carnaval, segundo o superintendente de Turismo, Denilson Silva. Gradis serão usados para cercar duas edificações: o Chafariz de São José, construído em 1749, e a Igreja de São Francisco de Paula, erguida também no século 18. A decisão, informa Silva, foi tomada depois de o templo ser pichado em janeiro, durante a 17; edição da Mostra de Cinema da cidade. ;Já vínhamos pensando em cercar, esse fato foi a gota d;água;, afirma. Em Tiradentes, a prefeitura também pretende contratar 18 vigias, homens que ficarão circulando por locais onde houver festa. ;Eles vão atuar como observadores, responsáveis por acionar a Polícia Militar se virem algum ato ilícito;, explica Silva.

Em São João del-Rei, a prefeitura espera que o carnaval reúna de 80 mil a 90 mil foliões, segundo o secretário de Cultura e Turismo, Pedro Leão. O município quer contratar 900 seguranças particulares, mais que os 600 de 2013. ;Vamos fazer o cercamento de monumentos históricos, como chafarizes e estátuas;, informa. As medidas também incluem a instalação de cinco câmeras de vigilância em diferentes pontos da cidade, além de um aparelho móvel transportada em um carro.

Em Ouro Preto, onde a prefeitura aguarda 65 mil turistas durante a festa, seguranças serão contratados para proteger edificações tombadas, segundo o vice-prefeito Chiquinho Xavier, que não soube informar o número de vigilantes. ;Vamos cercar com tapumes algumas casas em situação mais delicada, em processo de degradação. Como estão abertas, temos medo que sejam invadidas, usadas para o consumo de drogas. Fortalecemos as atrações nos bairros, para que a festa não fique tão concentrada no Centro Histórico;, diz.

No município vizinho de Mariana, 70 seguranças particulares deverão atuar em cada dia da festa, segundo o vice-prefeito Duarte Eustáquio Gonçalves Júnior. ;Os shows maiores de nossa programação, que deverão ter público de 10 mil a 15 mil pessoas, serão realizados em uma área afastada do Centro Histórico, no espaço Mina Del Rei, para evitar qualquer dano ao patrimônio;, diz. Os quatro dias de carnaval reunião de 800 mil a 1 milhão de foliões, prevê a prefeitura.

Pontapé O governo estadual fez ontem a abertura oficial do Carnaval em Minas. Realizado na Cidade Administrativa, o evento apresentou os integrantes da Corte Real Momesca de Belo Horizonte e teve a apresentação da Escola de Samba São Geraldo, de São João del-Rei, e de blocos tradicionais de Mariana, como o Zé Pereira da Chácara, com seus grandes bonecos, e da Banda da Polícia Militar. ;O estado tem se tornado cada vez mais um destino turístico, e o carnaval ajuda a atrair mais visitantes;, disse o secretário de Estado de Turismo e Esportes, Thiago Lacerda.


MEMÓRIA:
Recomendações da promotoria

O Estado de Minas informou, em matéria publicada em 18 de janeiro, que o Ministério Público de Minas Gerais, por meio da Coordenadoria das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico (CPPC), divulgou dicas para orientar as promotorias no estado e as prefeituras sobre medidas a serem tomadas no carnaval. O coordenador do CPPC, Marcos Paulo de Souza Miranda, avaliou que ;é preciso que os municípios adotem cuidados especiais para evitar danos ao patrimônio cultural e assegurar a integridade física dos foliões. Esses riscos podem ser reduzidos com o cumprimento de regras básicas de segurança e fiscalização", disse. Em Sabará, a prefeitura anunciou a instalação de 18 catracas eletrônicas, 12 delas no Centro Histórico, e câmeras para identificação individual. Em Diamantina, quem for flagrado urinando em vias públicas pagará multa de até R$ 1 mil, e carro com som alto será rebocado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação