Da arte contemporânea ao templo tricentenário

Da arte contemporânea ao templo tricentenário

A localidade é movimentada pelos passeios diversificados. Os principais pontos são Inhotim - onde está um museu de 110 hectares e com centenas de obras artistas contemporâneos -, Topo do Mundo, Escola de Voo e Igreja Nossa Senhora da Piedade

postado em 03/09/2014 00:00
 (foto: Virgilio Barros/Estudio Mangabeiras/Divulgação)
(foto: Virgilio Barros/Estudio Mangabeiras/Divulgação)

A 51km de Belo Horizonte existe uma cidade com pouco mais de 35 mil habitantes que turisticamente é conhecida em todo o mundo por abrigar o Instituto Inhotim. Porém, esse município, chamado de Brumadinho pelos Bandeirantes ; por conta das brumas visíveis na região ;, conta com lugares e paisagens incomuns, que vale a pena conferir. São locais que carregam um peso histórico, natural e até mesmo moderno.

Somente o Instituto Inhotim recebe, diariamente, cerca de 3 mil visitantes, sendo que mais de 20% são de outros países. O museu está inserido em área de 110 hectares que, desde 2006, quando foi inaugurado, recebe centenas de obras de artistas contemporâneos. Atualmente, a cartilha do museu é longa. São mais de 700 trabalhos e aproximadamente 170 podem ser apreciados dentro de galerias ou em espaços abertos. Além disso, é possível passear pelos 25 hectares de jardim botânico, com espécies tropicais raras. O motivo de tanta beleza é explicado pelo diretor-executivo do Inhotim, Antônio Grassi. ;O objetivo é transmitir o que está além de um lugar. É como se fosse um estado de espírito, no qual os visitantes podem se envolver tanto com as paisagens quanto com as obras.;

Além das belezas naturais no Inhotim, Brumadinho conta com as alturas da Serra da Moeda. A mais de 1,5 mil metros de altitude, bem no alto da montanha, está o restaurante Topo do Mundo, que reúne o luxo e prazer de fazer uma refeição com uma vista inesquecível.

O prato mais pedido da casa é o fondue, que pode ser degustado de forma salgada, feito de carne e queijo, ou com a doçura do chocolate com frutas. Para beber, o visitante tem um leque de possibilidades. São cerca de 70 rótulos de vinhos, produzidos nos principais vinhedos do planeta. Rogério Tamietti, um dos sócios da casa, destaca que o local alia a gastronomia contemporânea a ingredientes regionais.

As atrações da Serra da Moeda não param por aí. Vizinha ao Topo do Mundo está a Escola de Voo Livre, que pode receber, dependendo do clima, média de 50 praticantes do esporte e aproximadamente 500 turistas, por dia. ;É comum, em dias bons de voo, termos mais de 150 decolagens em uma única tarde. As pessoas vêm para se distanciar das atividades rotineiras que as envolvem;, explica Glayson de Castro Lima, o administrador da escola. O local oferece treinos nas modalidades motorizado, feito por paramotor e parapente, sendo esse último o mais procurado.

Decolagens
Um produto característico da cidade é a cachaça. Segundo a historiadora e diretora de rota da Happy Travel (HT), agência de turismo receptivo, Marcela Azevedo, teve uma época em que a cidade foi a maior produtora de aguardente da região. ;Comecei a estudar o assunto e verifiquei que o maior problema dos fabricantes era a questão financeira.; E paralelo à inauguração do Inhotim em Brumadinho, a HT criou a Rota da Cachaça. ;Foi um roteiro desenvolvido para juntar o turismo ao produto, automaticamente ajudando os produtores.;

A atividade é realizada por meio de roteiros diversificados. Um deles une a visita a alambiques e restaurantes, na qual os participantes conhecem a história da cachaça, aprendem como ela é produzida e podem degustá-la, além de terem a possibilidade de participar de oficinas de quitutes mineiros com a aguardente como um dos ingredientes.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação