Encanto verde e amarelo

Encanto verde e amarelo

Crianças e adultos lotaram as arquibancadas para admirar a passagem de destacamentos militares como a cavalaria e, principalmente, da tradicional Esquadrilha da Fumaça. O evento na Esplanada atraiu 30 mil pessoas

» AILIM CABRAL » THIAGO SOARES
postado em 08/09/2014 00:00
 (foto: Paula Rafiza/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Paula Rafiza/Esp. CB/D.A Press)

Crianças concentradas e idosos emocionados lotaram ontem as arquibancadas durante o desfile cívico de Sete de Setembro, na Esplanada dos Ministérios. Famílias reunidas balançavam as bandeirinhas do Brasil distribuídas no evento e vibravam a cada destacamento que surgia. De acordo com a Polícia Militar, o desfile reuniu na manhã de ontem aproximadamente 30 mil pessoas. O evento, que comemorou os 192 anos da Proclamação da Independência do Brasil, teve início às 9h, com a chegada da presidente Dilma Rousseff no tradicional carro Rolls-Royce usado na celebração.

A comemoração durou cerca de duas horas e os presentes lutavam por uma melhor visão do evento. A aposentada Maria José Mendes Gaspar, 85 anos, assistia com um olhar orgulhoso e contou que essa foi a 10; vez que compareceu ao desfile. ;Meu pai, meu marido, meu filho e meu neto foram e são militares, então eu não perco esse desfile;, conta, sorrindo. Maria José, acompanhada de filhos e netos, disse que as partes preferidas da celebração são cantar o Hino Nacional, ver a banda do fuzileiros navais e observar a cavalaria. Marcus Paiva, 23, acompanhou a avó e viu o desfile pela primeira vez. ;Gostei da tranquilidade de acesso, da segurança e dos aviões;, completa o jogador de futebol.

As apresentações do Exército foram as mais aguardadas por André Sampaio, 5 anos, que revelou seu trecho preferido da comemoração sem pensar duas vezes: ;Adorei ver o meu pai, que é militar e desfilou;. Já o irmão mais velho, Davi Sampaio, 10, afirmou que gosta de ver a Polícia Militar se apresentar. Shirley Sampaio, 38 anos, conta que leva os filhos há 5 anos e que eles vão à solenidade mesmo quando o marido não desfila. ;Quando ele não participa, vem com a gente e assistimos todos juntos, da arquibancada;, completa.

Pátria

No dia de honra à Pátria, o casal André Antônio Santos, 33 anos, e Juliana Félix Silveira, 32, ambos funcionários públicos, levou os filhos gêmeos Heitor e Caio, 2, para acompanhar o desfile. A família chegou atrasada e não conseguiu entrar nas arquibancadas. Mesmo um pouco de longe, eles encontraram uma forma de acompanhar o desfile. Na hora em que as aeronaves começaram a passear pelo céu de Brasília, as duas crianças ficaram com os olhos concentrados nos movimentos. ;Eles ainda não têm compreensão da importância de amar e respeitar a pátria, mas creio que é indispensável trazê-los para acompanhar desse pequenos. Os dois ficaram bem empolgados com os carros militares e as aeronaves;, comentou o pai.

A professora Cristiane Oliveira, 36 anos, e o marido, o técnico judiciário Eron Moreira, 43, também não conseguiram espaço nas arquibancadas. Para não decepcionar a filha, Emilly Siqueira, 6, o pai logo deu um jeito. ;Nós viemos para ela ver pela primeira vez, então nos viramos para conseguir uma posição que não atrapalhasse;, conta Cristiane.

Apesar da falta de acrobacias este ano, a Esquadrilha da Fumaça surpreendeu com os novos aviões A-29, chamados de Supertucanos, que deixaram uma frase especial no céu da cidade ao fim do desfile cívico: os dizeres Pátria Amada Brasil encantaram o público presente.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação