Passeio pelo espaço

Passeio pelo espaço

O Planetário é um programa imperdível nestas férias. A mostra Fogueteando fica até 31 de janeiro

postado em 24/01/2015 00:00
 (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)

O Planetário de Brasília está no clima de viagem espacial. Os visitantes encontram réplicas de sondas, foguetes, satélites artificais e centros de lançamento, além de diversas imagens retratando a rotina de quem vive com a cabeça no espaço. Dá até para se sentir como os astronautas, posando com roupas para fotografias.

Tudo isso faz parte da exposição Fogueteando, mostra gratuita realizada em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB). Os trajes expostos remetem ao primeiro astronauta brasileiro a sair da Terra: Marcos Pontes, que passou 10 dias a bordo da Estação Espacial Internacional, em 2006. A Missão Centenário celebrava os 100 anos da primeira viagem tripulada de avião, realizada por um famoso inventor brasileiro: Santos Dumont.

Tanta novidade encantou Willian Alves, 11 anos, que visitava o planetário pela primeira vez:

; Nunca tinha vindo, mas meu pai disse que é onde aprendemos sobre o espaço, os planetas e as galáxias. Aí, eu quis conhecer. Gostei mais das fotos gigantes e dos foguetes, elegeu Willian enquanto ganhava um encarte com passos para montar um satélite idêntico aos que orbitam o planeta, só que de papel.

Quem está visitando a cidade também aprova a mostra. Fã de ciências, Layza de Sousa, 10 anos, vive com os pais em Ipatinga (MG) e gostou do que viu.

; A exposição está muito legal. Aprendi coisas que eu não imaginava sobre o programa espacial e as missões ao espaço, diz.

Uma das vantagens que ela vê em visitar a exposição é aprender fora do universo virtual.

; Prefiro sair de casa, ir aos lugares, ver as fotos e os objetos de perto.


A estudante se interessou por astronomia com o incentivo de uma amiga, e hoje utiliza a rede mundial de computadores para aprender mais sobre o tema.

; Gosto de ver imagens do espaço e pesquisar na internet sobre os planetas, ler sobre as estrelas. Minha professora até elogiou o uso que eu faço do computador.

Mais atrações
A exposição não é o único programa no Planetário nestas férias. Sete sessões com quatro filmes diferentes são exibidas todos os dias na cúpula do prédio, uma sala redonda, com poltronas levemente inclinadas, onde até 80 pessoas podem observar imagens exibidas no teto. O segredo do foguete de papelão leva crianças de 4 a 11 anos a uma viagem lúdica de 45 minutos pelo Sistema Solar com um foguete de papelão, um livro de astronomia e muita imaginação.

Quem tem a partir de 12 anos pode acompanhar Dois pedacinhos de vidro, enquanto a classificação indicativa é de 14 anos para os filmes Reino de luz: uma breve história da vida e Origens da vida. Todos esses filmes contam detalhes divertidos da evolução da astronomia em cerca de 24 minutos. Nas sessões comentadas, os visitantes são guiados por monitores, podem fazer perguntas e sugerir temas para projeção na cúpula do planetário.

A programação faz sucesso não apenas entre os pequenos.

; Recebemos um público bem variado. Pela manhã, o espaço é dominado pelas crianças. As sessões comentadas são as mais procuradas pelos jovens e adolescentes, geralmente lotam. Famílias interas chegam de dia. À noite, frequentam mais adultos e casais, disse a guia Helen Cardoso.

O planetário funciona de segunda a sexta, das 9h às 21h, e das 8h às 20h, aos sábados e domingos. A entrada no prédio para visitação e exposições é gratuita, mas as exibições na cúpula têm como ingresso 1kg de alimento não perecível para crianças a partir de 3 anos. Os horários das sessões e outras informações podem ser solicitados pelo telefone (61) 3361-6810, pelo endereço www.sect.df.gov.br/planetariodebrasilia ou via e-mail: sectidf@gmail.com.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação