Liminar do STF protege contratos da CBF

Liminar do STF protege contratos da CBF

postado em 12/09/2015 00:00

O presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, obteve ontem mais uma vitória no Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Marco Aurélio Mello atendeu ao pedido de liminar feito pela entidade para proteger os contratos de patrocínio e não entregar os documentos à CPI do Futebol no Senado.

A comissão havia aprovado requerimento para ter acesso aos acordos assinados entre a CBF e as empresas Internacional Sports Events (ISE), Uptrend Development, Plausus e Kentaro; à relação da remuneração recebida pela CBF, desde 2002, das companhias com as quais manteve contrato envolvendo comercialização de jogos da Seleção; à renda obtida com bilheteria e direitos de transmissão das partidas da Seleção; e à cópia dos contratos de patrocínio com a General Motors (GM) e a Volkswagen nos últimos 10 anos.

Os parlamentares também queriam a relação do dinheiro recebido referente à Copa do Mundo de 2014 e como esses valores foram empregados pela CBF.

Na terça-feira, a CBF entrou com um pedido de mandado de segurança no STF para não enviar à CPI os documentos. Ontem, foi publicada a decisão de Marco Aurélio Mello, que, em medida cautelar, atendeu à solicitação. A entidade alega que há cláusulas de confidencialidade nos contratos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação