Severino Filho, 88 anos

Severino Filho, 88 anos

postado em 02/03/2016 00:00
 (foto: Edson Ges/CB/D.A Press - 26/2/08)
(foto: Edson Ges/CB/D.A Press - 26/2/08)


A bossa nova perdeu um dos seus nomes mais representativos, com a morte, ontem, às 8h30, de Severino Filho, líder e último remanescente da formação original de Os Cariocas, o grupo vocal-instrumental, surgido em 1946. Internado desde o dia 18 último no hospital Quinta D;Or, no Rio de Janeiro, com um quadro de trombose pulmonar, o vocalista, pianista e arranjador de 88 anos, pai da atriz Lúcia Veríssimo, foi vitimado por uma parada respiratória.

Com Os Cariocas, Severino veio várias vezes a Brasília e a última delas foi em 21 de novembro do ano passado, quando se apresentou no Clube da Bossa. Para Dikran Berberian, criador da instituição, a música brasileira perde um grande artista que parecia indestrutível. ;Severino Filho era um amigo fraterno do Clube da Bossa, onde fez vários shows. No último deles, em novembro de 2015, levou ao público um arranjo que fiz para Asa branca, de Luiz Gonzaga, vocalizado por ele e seus companheiros de grupo. Todos nós, amantes da bossa nova, vamos sentir muita a falta de Severino. Ficamos na torcida para que o conjunto não se desfaça.;

Quando da vinda à cidade, em novembro último, em entrevista ao Correio, Severino recordou-se de um fato que marcou a trajetória de Os Cariocas, relacionado com o clássico bossanovista Ela é carioca, gravada originalmente pelo grupo. "Íamos gravar o segundo disco com canções da bossa nova. Durante reunião na casa do Tom Jobim, em Ipanema, me aproximei dele e do Vinicius (de Moraes) e pedi uma música para o repertório, que exaltasse a mulher carioca. Quinze dias depois, num outro encontro, Tom foi ao piano e tocou um tema melodioso e perguntou a mim, Badeco, Quartera e Luis Roberto, se havíamos gostado. Em seguida, disse que se chamaria Ela é carioca e que Vinicius já havia feito a letra"(IrlamRocha Lima).


Para conhecer



Da extensa discografia de Os Cariocas, o Correio destaca dois, que, por razões diversas, são importantes na trajetória de 70 anos do grupo. Um deles é o A bossa dos Cariocas, lançado em 1962 e que traz clássicos do movimento como O barquinho e Desafinado. Naquele mesmo ano, Severino e seus companheiros haviam participado de histórico e antológico show, em que eles se juntaram a Tom Jobim, Vinicius de Moraes e João Gilberto no palco do Au Bon Gourmet, em Copacabana, em 2014, o conjunto lançou Estamos aí, o último álbum com a participação de Severino, com a interpretação de Chico Buarque em Januária, canção de autoria do compositor.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação