Homenagens de cheiros e cores

Homenagens de cheiros e cores

William Shakespeare deixou uma marca indelével nas suas obras: a presença das flores e das ervas. Por esse motivo, nada mais natural e adequado, que seja lembrado em canteiros coloridos e verdes caminhos aromáticos nos jardins que guardam o talento da sua alma criadora

postado em 14/02/2018 00:00
 (foto: Grant Condit/Flickr - 8/1/18 )
(foto: Grant Condit/Flickr - 8/1/18 )
Vienna, Áustria
;Você deve usar sua rua com
uma diferença! Há uma margarida.;
Hamlet

O jardim foi concebido pela etnobotânica austríaca Miriam Wiegele para familiarizar aprendizes e estudantes na escola local de horticultura e floricultura aos nomes de plantas inglesas e a arte britânica da jardinagem. O Jardim de Viena Shakespeare foi inaugurado, em 1; de setembro de 2005, pelo embaixador de sua Majestade Britânica na Áustria. Existem cinco canteiros diferentes: sombreado, com sol da tarde, de exibição magnífica, de ervas e um clássico canteiro de flores no estilo inglês. Os rótulos das plantas são apenas em latim e na língua do poeta.

Margaridas: flores muito populares por sua delicadeza e por serem bastante usadas em jardins e decorações de casas.
Parque de Washington em Portland, Oregon
;Lavanda quente, hortelã,
salgados, manjerona;
O calêndula, que vai para a cama com o sol,
e com ele se levanta chorando.;
Contos do inverno
Localizado no Jardim Internacional das Rosas, cultiva mais de 10 mil espécies da flor lavanda. Doado pela Sociedade de Shakespeare em 1943, originalmente apresentava apenas botânicos mencionados nas obras do autor. Ao longo do tempo, evoluiu, sendo plantados vegetais anuais de verão, plantas tropicais e arbustos. As variedades de rosas são nomeadas de acordo com os personagens nas peças do dramaturgo. Nele se inclui uma passarela formal e uma área de descanso em um terreno elevado.

Lavanda: as donas de casa isabelinas usavam lavanda (do latim ;lavar;) para tudo, desde banho até lavanderias. Em algumas ocasiões , vestiam roupas molhadas em arbustos de lavanda que, ao secar, funcionavam como um repelente naturalde traça.

Jardim Botânico de Johannesburg, África do Sul
;No Natal eu não desejo mais uma rosa
do que desejo um novo show de maio.;
Canseiras do amor em vão

Com uma área de 125 hectares, e mais de 10 mil rosas, o Jardim Botânico foi inaugurado em 1969. Nesse mesmo ano o Jardim de Shakespeare foi acrescentado à área. Com um anfiteatro circular, ele contém os diferentes tipos de ervas mencionadas nos trabalhos do autor, com cotações anexadas aos rótulos. Anualmente, diversos eventos shakespearianos são realizados nesse local.

Heléboro: também conhecida como rosa de Natal, no folclore isabelino, essa planta tinha o poder de repelir bruxas e espíritos malignos, então, muitas vezes, era plantada perto das portas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação