Temer oferece reforma

Temer oferece reforma

postado em 29/10/2018 00:00
 (foto: Evaristo Sá/AFP)
(foto: Evaristo Sá/AFP)


Depois de telefonar para Jair Bolsonaro, do PSL, para parabenizá-lo pela vitória, o presidente Michel Temer fez um pronunciamento à nação em que ofereceu ao eleito, caso seja do interesse do novo governo, levar adiante a reforma da Previdência para aprová-la, com base no texto que já tramitou no Congresso, ele acredita que ;é possível finalizá-la este ano;. Segundo Temer, ;a estrada estará inteiramente asfaltada para o próximo governo;. Ele afirmou, entretanto, que ;a ideia só irá adiante se houver apoio do presidente eleito e da sua equipe;.

Temer quer passar para a história como o presidente das reformas. O chefe do Executivo tem lamentado que não conseguiu aprovar a reforma da Previdência, que estava pronta para ir ao plenário, quando foi abatida por denúncias contra ele no Congresso, o que inviabilizou a sua votação. O presidente disse que não chegou a tratar do tema com o eleito, na conversa por telefone, que foi muito rápida. Mas avisou que está à disposição para levar o assunto adiante.

Mais cedo, o agora vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, defendeu a aprovação do texto e declarou que ;o ótimo é inimigo do bom;, ao sugerir que se aprovasse o que está pronto e depois se trabalhasse por uma melhora de um novo texto, para outra oportunidade. Bolsonaro e o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), coordenador da campanha do eleito e futuro ministro da Casa Civil, já haviam se posicionado contra a reforma.

Para Temer, nos dois meses que restam até o fim do ano, antes da mudança de comando do país, há tempo para se promover a reforma da Previdência, mas sem incorporar mudanças no texto. ;Se for modificar demais aquilo que já está pronto para ser votado, evidentemente não dá tempo;, comentou.

O presidente afirmou que o governo de transição começa hoje ou, mais tardar, amanhã. Temer disse que, em todas as áreas do governo, o processo de transmissão da administração federal já está adiantado e que o futuro presidente e equipe receberão todas as informações ainda nesta semana. Ele falou com a imprensa ao sair do colégio Santa Cruz, na zona Oeste da capital paulista, onde chegou para votar às 8h07. Sobre o eventual apoio do MDB ao próximo governo, Temer afirmou que o partido ainda não discutiu essa possibilidade.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação