ARI CUNHA

ARI CUNHA

Desde 1960 Visto, lido e ouvido aricunha@dabr.com.br com Circe Cunha / circecunha.df@dabr.com.br

postado em 02/07/2014 00:00

Quando se avança para trás

Contrariando o movimento do relógio da fachada do edifício do Legislativo boliviano, os relógios do mundo insistem em marcar o tempo da esquerda para a direita, trabalhando, desde sempre, em sentido horário. Da mesma forma, para o restante do planeta, as consequências são sempre relativas às causas e vêm obstinadamente a posteriori. Também para a infelicidade da política, os atos do presente são cobrados no futuro, às vezes com redobrada contundência. A essa mecânica do mundo ninguém é imune. A insistência com que o ex-presidente Lula sempre se impôs para emplacar seus candidatos ou, como ele chama, ;seus postes; na vida pública do país, começa a jogar luz sobre essa e outras mazelas presentes nesse jeito de politicar. Além de se revelarem verdadeiros desastres como administradores, Dilma, no plano federal, e Haddad, em São Paulo, ameaçam a estratégia do próprio PT de se eternizar no poder. A crise política e econômica que o país atravessa é reflexo direto da insistência com que certos personagens são guindados ao mais alto posto do Executivo, sem nunca experimentarem, sequer, tarefas ;menores;, como exercer o cargo de prefeito. Numa lógica contrária ao relógio boliviano, ao segundo degrau chega-se após se apoiar no primeiro. Curioso ainda que essa descaracterização de nosso modelo republicano induza, por conseguinte, outros elementos presentes na monarquia, como é o caso da vassalagem, presentes na relação dos partidos com o governo central e vice-versa, e no aspecto absolutista representado pelos decretos-leis e pela cooptação do Legislativo, bem como no aparelhamento da Justiça com juízes dóceis. Descompassado, nosso relógio marca um tempo passado no modo de fazer política num país que se diz do futuro.



A frase que não foi pronunciada

;O meu candidato
ainda não tem nome.;

Eleitor pensando ao sair do cartório eleitoral.



Leveza

; Mais uma do ministro Barbosa para fechar com chave de ouro a passagem pelo Supremo Tribunal Federal. Depois de levantar poeira por todos os lados, confirma que sai de alma leve.

Talento

; Lucas Kanashiro é o estudante da UnB escolhido por programa financiado pelo Google, o Google Summer of Code. A proposta tem por objetivo angariar opiniões e soluções para uma ferramenta de monitoramento da qualidade de um dos programas mais usados pelo mundo.

Tá lento

; Cresce a revolta dos concursados da Polícia Civil. Eles querem a nomeação imediata e protestam com a demora. O primeiro passo é apelar por apoio ao Legislativo. O segundo, ao Judiciário.

Silêncio

; Depois da expectativa, Sergio Moro, juiz paranaense, suspendeu o depoimento que o doleiro Alberto Youssef daria no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. O advogado avisou que, com ou sem teleconferência, o doleiro permanecerá calado.

Caras

; Autoridades brasileiras, no aeroporto, comentavam sobre o depoimento de Nicolas Sarkozy na polícia de Nanterre. Há uma investigação sobre tráfico de influência e violação de sigilo investigatório. O que as autoridades querem saber é em até que ponto Sarkozy estava envolvido na rede de informantes que atualizavam as notícias sobre os processos judiciais em que o presidente francês estava envolvido. É um assunto bastante envolvente.

Quase nada

; Queda de 0,2% em relação ao mês passado. Esse é o resultado da pesquisa da Confederação Nacional do Comércio sobre o número de famílias endividadas. Há um ano, 63% das famílias estavam penduradas nas contas. Mudou muito pouco.

Estragos

; Uma tristeza o gramado da Esplanada dos Ministérios. Nunca na história desta cidade o local foi tão pisoteado. Não por manifestações populares, mas por festas de empresas particulares.

Roubo

; Até retroescavadeira está sumindo na cidade. Aconteceu em Brazlândia, quando o sol dava mais calor à terra. O motorista foi rendido e amarrado. Graças à ação da PM, três pessoas foram presas.

Devastação

; Por falar em retroescavadeira, esse é o primeiro sinal de desmatamento. Quando vários tratores e tipos de máquinas grandes são estacionados juntos, é sinal de destruição. Vale um passeio do Varjão até os condomínios depois do Paranoá para ver o que surgirá de novo e ilegal por aquelas bandas.



História de Brasília

Em organização, pelo Departamento de Turismo da
Prefeitura, o concurso de pesca na cachoeira dourada. Pelas histórias que temos ouvido de pescadores, o Pontes já ganhou longe. (Publicado em 21/7/1961)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação