Confronto entre militantes em São Paulo

Confronto entre militantes em São Paulo

postado em 24/10/2014 00:00
 (foto: Michel Filho/Agência O Globo)
(foto: Michel Filho/Agência O Globo)

A temperatura bastante elevada do segundo turno das eleições presidenciais, com recorrentes ataques mútuos entre os candidatos Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), sobretudo nos debates televisivos, ajudou a alimentar o ódio entre militantes vermelhos e azuis. Ontem, em São Paulo, a militância tucana e a petista entrou em confronto físico. As cenas de agressão foram registradas, no início da tarde, em frente ao Theatro Municipal, no Centro de São Paulo. Ninguém ficou ferido.

Os simpatizantes de Aécio realizavam uma passeata pelas ruas da cidade que reuniu aproximadamente 200 pessoas. Eles, que estavam em três ônibus, saíram da Praça da Sé, no Centro, em direção ao Theatro Municipal. Lá, um grupo menor de petistas, com cerca de 50 pessoas, estava no local realizando a distribuição de material de campanha. Na hora em que as militâncias dos dois candidatos ficaram frente a frente, um apoiador de Aécio arremessou uma bandeira em direção a um militante petista. O homem revidou e a confusão foi iniciada.

Alguns tucanos já estavam dentro de um ônibus. Ao perceberem que a bandeira havia atingido o veículo, desceram e os dois lados trocaram socos e pontapés. Os guardas civis metropolitanos foram acionados e chegaram ao local para acalmar os ânimos. Ninguém foi detido. Após cinco minutos, os tucanos resolveram ir embora. Alguns petistas permaneceram no local.

A Coligação Muda Brasil, do candidato Aécio Neves, comunicou que repudiava ;todo e qualquer tipo de violência;. Destacou também que a campanha se ;pauta pelo debate de ideias, de forma pacífica e propositiva;. O PSDB informou que o ato político não foi convocado oficialmente pela coordenação da legenda na capital.

Da mesma maneira, o Partido dos Trabalhadores lamentou o episódio ocorrido na tarde de ontem. Assegurou que a recomendação partidária é para que os militantes sempre atuem de maneira pacífica com o objetivo de evitar qualquer tipo de enfrentamento. ;O Diretório Municipal do PT incentiva o diálogo e é veementemente contra confronto verbal ou físico;, alegou a sigla, em nota oficial.

No fim da tarde de ontem, a presidente Dilma Rousseff comentou o episódio. Ela pediu tranquilidade nessa reta final de campanha. ;Eu acho que esta é uma eleição bem disputada e quero fazer um apelo para que não ocorra confronto físico. Conflitos físicos têm de ser repudiados. Eu peço tranquilidade;, afirmou. Ela ressaltou que, em razão desse confronto, não se pode criar ;um fantasma;, e que o clima, de maneira geral, é de festa. ;Não existe isso no Brasil. Onde estive, foi só festa. Meu apelo é que não se crie fantasma.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação