ARI CUNHA

ARI CUNHA

Desde 1960 Visto, lido e ouvido aricunha@dabr.com.br com Circe Cunha / circecunha.df@dabr.com.br

postado em 31/03/2015 00:00



Enfim, os precatórios

Com a decisão final tomada pelo Supremo Tribunal Federal, obrigando os governos dos estados, dos municípios e do Distrito Federal a quitarem os débitos com precatórios até 2020, reacendem as esperanças de muitos cidadãos de que os créditos, que se arrastam por décadas, terão, enfim, solução justa. Reconhecidas pela Justiça como dívidas a serem efetivamente pagas, os precatórios sempre foram colocados como prioridades últimas nos orçamentos, a serem quitados somente quando ocorressem os chamados superavits nas contas públicas. Como a situação nunca ocorreu, as dívidas foram empurradas para a frente indefinidamente, governo após governo. Para muitos, a decisão chegou tarde. Muitos dos titulares dos créditos faleceram há muitos anos. Curiosamente, para os magistrados e outras categorias com força de mobilização, as dívidas foram pagas anos atrás. O Governo do Distrito Federal é, depois do estado de São Paulo, o maior devedor de precatórios, com R$ 4 bilhões a serem quitados, o que corresponde a aproximadamente 22,7% do orçamento. São mais de 5 mil processos aguardando solução, alguns com mais de 30 anos na fila. No caso do Distrito Federal, atolado em dívidas deixadas por administrações passadas, a situação vai requerer solução muito bem negociada, para que o cobertor curto do orçamento local não cubra uns, descobrindo muitos. De toda forma, o mais sensato, parece ser a aquiescência imediata do que manda o STF, começando já a quitação das dívidas, partindo dos menores para os maiores valores, tomando como base também a situação financeira atual de cada um dos legítimos credores do Estado. Muito mais do que reconhecer a dívida, chegou a hora de pagá-la sem reclamar, como fazem mansamente os contribuintes há séculos.


A frase que foi pronunciada


;É melhor andar só do que com testemunhas de acusação.;

Elis Regina


Tecnologia

; Reunindo diferentes partidos em vários elogios, a Lei Geral das Antenas foi unânime em um ponto: a necessidade de modernizar o Brasil para ampliação da banda larga. Por enquanto, o discurso é de que a quantidade tornaria o preço menor, dando acesso a toda a população. O senador Walter Pinheiro afirmou em discurso que, em Tóquio, no Japão,
há mais antenas do que no Brasil inteiro.

Ação imediata

; Assentamentos em várias partes do país estão na mira da Polícia. A incidência de tráfico de drogas é alta. Depois que o interior do Brasil descartou os jumentos pelas motos, as drogas estão se infiltrando nas áreas mais remotas.

Extensão

; Em Uberlândia, no assentamento do Glória, 133 buchas de maconha, 30 pedras de crack, cocaína e produtos para a fabricação da droga foram apreendidos após denúncia anônima. Para proteger o interior do país, é preciso contar com a comunidade. Na Bahia, a situação é grave e envolve índios e crianças.

Subliminar

; Doutrinação política e ideológica nas escolas é assunto abordado na Câmara pelo deputado federal Izalci. Já que a lei não aborda o assunto, a proposta do parlamentar, depois de ouvir autoridades em educação, é incluir, na Lei de Diretrizes e Bases, o Programa Escola sem Partido. Só pelos livros adotados, já se tem ideia do que vem ocorrendo.

Ideias

; Interessante notar a abordagem que é feita em cidades pobres com intenção de ajudar. Acabar com os piolhos, aprender a escovar os dentes, brincadeiras que só se vê em lugares mais abastados. Acontecer. Aulas sobre cidadania e como usar o próprio talento para ganhar dinheiro também
seria mais útil.

Guerra civil

; Em quatro anos, mais de 215 mil mortes. A guerra na Síria continua sem que qualquer organismo internacional consiga intervir para o fim, mostrando que as potências mundiais só são capazes de se articular quando o assunto é economia. Diante do sofrimento humano a
impotência é total.

Tragédia

; Nadia Abu Shabann postou fotografia no Twitter que se espalhou pelo mundo em poucos minutos. Uma menininha síria, com pouco mais de 4 anos, ao ver a fotógrafa se aproximar, levantou os bracinhos pensando se tratar de uma arma. Veja a foto no Blog do Ari Cunha.

Segurança

; Mais uma promessa cumprida pelo senador Rollemberg é a sensação de segurança da população. O policiamento é visível nas vias da cidade em todos os horários. A Polícia Militar começou a convocação dos aprovados no último Curso de Formação de Praças e a área rural receberá mais 80 carros para rondas. ;Os índices, apesar de terem diminuído, continuam altos, mas tenho convicção de que nós vamos, de forma paulatina e permanente, melhorar o policiamento;, disse o governador em entrevista.



História de Brasília

Eu vi as bases do pombal da Praça dos Três Poderes, que, como toda a estrutura, é de cimento armado. Falta, agora, um equipamento para espantar os gaviões, que são muito comuns nessa região do Planalto. (Publicado em 11/8/1961)


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação