Paixão de todas as Marias

Paixão de todas as Marias

A encenação da via-sacra tomará conta de diversas cidades do DF nesta sexta-feira. Entre as centenas de pessoas que participam da organização, estão três mulheres que desempenham a tarefa de interpretar a mãe de Jesus

BERNARDO BITTAR
postado em 03/04/2015 00:00
 (foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press - 6/6/14)
(foto: Daniel Ferreira/CB/D.A Press - 6/6/14)


Não é apenas a fé que une a dona de casa Vilma Maria Sousa dos Santos, 48 anos; Lourdes Maciel, 65, também dona de casa, e a auxiliar administrativa Mara Lúcia da Silva, 25 anos. A disposição para longos ensaios, a privação dos momentos em família e o gosto pela evangelização aproximam essas três mulheres que encarnam hoje Maria de Nazaré. Nos palcos do Recanto das Emas, Planaltina e São Sebastião, respectivamente, elas interpretam o papel da mãe de Jesus Cristo para milhares de católicos que acompanham a mais emocionante encenação da semana santa.

A via-sacra é a representação do caminho percorrido por Jesus, quando crucificado, desde o Tribunal de Pilatos até o Monte Calvário. Em homenagem ao sofrimento Dele, os fiéis que peregrinavam até a Terra Santa passaram a visitar os lugares da travessia, hoje sagrados, e alguns enfrentam experiências de privação e de sofrimento com o objetivo de alcançar perdão ou purificação. Por isso, a encenação da via-sacra tornou-se uma triste, porém, honrosa lembrança. Os católicos celebram com gratidão tudo o que Cristo passou para salvar a humanidade, na semana santa.

Um dos dias mais importantes da é hoje. Trata-se da Sexta-Feira da Paixão, também chamada de Sexta-Feira Santa. A data celebra a crença no amor sem-fim de Cristo pela humanidade. É um dia de contemplação e de silêncio. Ocasião em que a comunidade católica se prepara para acompanhar o sofrimento de seu Salvador, que será crucificado. É também a única ocasião em que não há missa nas Igrejas.

Para o coordenador do setor de Comunicação da Arquidiocese de Brasília, padre Wesley Macedo, a semana santa é o momento em que os cristãos estão mais centrados na fé. ;Os católicos vão celebrar aquilo que Jesus fez por nós: a morte e a ressurreição, para que todos nós tivéssemos a vida eterna que acreditamos no catolicismo;, afirma. ;Esse é um momento de respeito, em que as pessoas devem se unir;, completa o bispo dom Antonio Augusto Dias Duarte.

Sem dinheiro
As comemorações em Planaltina (GO) têm maior dimensão do que as demais. No Morro da Capelinha, a tradição de crucificar Jesus Cristo dura 43 anos. Desta vez, com cenários e figurinos reaproveitados, o evento terá 1,1 mil atores e 300 colaboradores. No Recanto das Emas, serão 200 pessoas reunidas em prol do evento. Mas nem todas conseguiram se organizar sem a ajuda do GDF. A via-sacra de Taguatinga, a segunda mais importante para os cristãos da capital, não vai ocorrer. É a primeira vez que o evento é cancelado em quase 25 anos. Em Ceilândia, também não haverá celebração.

A Secretaria de Cultura do Distrito Federal (Secult-DF) destinou R$ 500 mil para a realização do evento de Planaltina. O valor representa 35% do destinado para a edição do ano passado, de R$ 1,4 milhão. A expectativa é de que 150 mil pessoas compareçam. O trânsito na cidade sofrerá mudanças (veja o mapa) O secretário de Cultura, Guilherme Reis, afirma que as vias-sacras têm simbolismo muito forte. ;Gostaríamos de ter dado a apoio a todas (as celebrações), mas a escassez de recursos não permitiu. Decidimos apoiar, então, a mais tradicional, antiga e que mobiliza o maior público. A via-sacra de Planaltina é um teatro a céu aberto;, diz.

Ainda que as festas sejam menores que as do ano passado, o Aeroporto de Brasília prevê que 250 mil pessoas passarão pela capital nos dias que antecedem a Páscoa.

;Os católicos vão celebrar aquilo que Jesus fez por nós: a morte e a ressurreição, para que todos nós tivéssemos a vida eterna;
Wesley Macedo, padre e coordenador na Arquidiocese de Brasília


150 mil
Expectativa de público na via-sacra do Morro da Capelinha

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação