Remédio caseiro

Remédio caseiro

Comandado pelo reabilitado zagueiro Jemerson, autor de dois gols, Atlético-MG dá passeio por 4 x 1 no Fluminense e cura a ressaca da eliminação da Copa Libertadores. Técnico do tricolor é alvo de moedas jogadas por torcedor

VÍTOR DE MORAES
postado em 18/05/2015 00:00
 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)



Em seis meses, Jemerson saiu da reserva do Atlético-MG à renovação do contrato com multa rescisória de quase R$ 100 milhões. O baiano de Jeremoabo esperou quase duas temporadas inteiras para, finalmente, convencer a comissão técnica de que é titular da zaga. Ontem, ele fez, de cabeça, dois gols na vitória sobre o Fluminense, por 4 x 1, no Mané Garrincha, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

O zagueiro não balançava a rede havia dois meses e meio. A última vez havia sido em 1; de março, quando abriu o placar contra o Guarani-MG, pelo Campeonato Mineiro ;- à época, o Galo acumulava três derrotas consecutivas. Em Brasília, Jemerson foi o responsável pelo fim da ressaca provocada pela eliminação na Copa Libertadores, na semana passada.

Assim, o Atlético-MG chegou a quatro pontos. O Fluminense tem um a menos. Abatido desde o início, o tricolor carioca não conseguiu chegar ao mínimo nível exigido pelo técnico Ricardo Drubscky. ;Hoje (ontem), não deu nada certo. A equipe não se encaixou;, lamentou o treinador, atingido por moedas atiradas por um torcedor ao fim da partida. ;Foi uma situação desagradável, que repudio. O camarada estava nervoso, mas não tem o direito de fazer o que fez;, reclamou.

Mesmo em número menor na arquibancada inferior, a torcida do Fluminense começou o confronto provocando o Atlético-MG. ;Eliminado! Eliminado!”, gritavam, em referência, à queda dos mineiros na Libertadores. Durou pouco a euforia tricolor, porém. Aos seis minutos de jogo, Jemerson subiu e cabeceou para o fundo do gol de Diego Cavalieri, após escanteio cobrado por Luan.

Acuado, o clube das Laranjeiras assistia ao envolvente jogo atleticano. Cavalieri viu seu travessão ser atingido duas vezes após chutes de Lucas Pratto e Dátolo. Em lance ensaiado aos 36 minutos, o gigante Jemerson surgiu novamente para, de cabeça, fazer 2 x 0. ;Atuamos bem, não deixamos o Fluminense jogar. Precisamos manter essa sequência boa;, pregou o zagueiro.

O Galo fez 4 x 0 com um chute cruzado de esquerda de Dátolo, aos sete do segundo tempo, e um toque de Luan, dentro da área, sozinho, aos 35. Fred ainda descontou, de pênalti, aos 43. ;Esse pênalti foi vergonhoso. Ele (árbitro Anderson Daronco) é um dos melhores do país, mas isso não pode acontecer;, desabafou o zagueiro Leonardo Silva.


11.958
Número de pagantes no Mané Garrincha


"É muito prematuro dizer que somos favoritos, mas somos candidatos ao título;


Levir Culpi,

técnico do Atlético-MG


"Foi uma situação desagradável, que repudio.
O camarada estava nervoso, mas não tem o direito de fazer o que fez;


Ricardo Drubscky,

comandante do tricolor, sobre o ataque de moedas


Ficha técnica

4 Atlético-MG
Victor; Patric, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Rafael Carioca,
Luan e Dátolo (Josué); Carlos (Maicosuel), Thiago Ribeiro (Giovanni Augusto) e Lucas Pratto
Técnico: Levir Culpi

1 Fluminense
Diego Cavalieri; Wellington Silva, Gum, Antônio Carlos e Giovanni; Pierre (Wagner),
Jean, Edson e Gerson (Magno Alves); Vinícius (Lucas Gomes) e Fred
Técnico: Ricardo Drubscky

Gols: Jemerson, aos seis e aos 36 minutos do primeiro tempo;
Dátolo, aos seis, Luan, aos 35, e Fred, aos 43 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Edson, Carlos, Leonardo Silva
Público: 11.958 pagantes
Renda: R$ 603.364
Árbitro: Anderson Daronco (RS)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação