Secretário defende jogo no Mané

Secretário defende jogo no Mané

postado em 31/10/2015 00:00
 (foto: Evaristo Sá/AFP - 30/9/15)
(foto: Evaristo Sá/AFP - 30/9/15)


A partida entre Legião e Dom Pedro, marcada para as 10h de hoje no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, pode ser a última do ano na arena, caso o Flamengo recue da decisão de
atuar na capital contra a Ponte Preta pela 36; rodada do Brasileirão. O jogo entre as duas equipes da Segundona candanga terá ingresso a R$ 5 e um quilo de alimento ; os produtos arrecadados serão doados a casa de apoio.

O secretário adjunto de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo do GDF, Jaime Recena, defende a realização da partida, mesmo sendo entre duas equipes da segunda divisão candanga e adianta que o governo não vai gastar com o jogo um tostão a mais do que já é obrigado a desembolsar. ;Fui um dos críticos da construção de um estádio desse tamanho, mas agora que ele está aí nós precisamos utilizá-lo. E estamos criando alternativas para devolver o estádio à população;, argumentou.

O Mané Garrincha tem um custo de manutenção na casa dos R$ 700 mil mensais, dinheiro que sai dos cofres públicos, mas que vem sendo compensado com a transferência de três secretarias para dentro do estádio, eliminando um gasto de R$ 14 milhões ao ano com aluguel. ;Para o jogo deste sábado, não vamos gastar nada a mais do que já gastamos normalmente com manutenção;, destacou Recena.

Para atuar no Mané Garrincha, o Legião pagará uma taxa simbólica de 1% da renda. O clube espera cerca de 3 mil espectadores, o que resultaria em R$ 15 mil de arrecadação e um pagamento de apenas R$ 150. O pedido do Legião foi para análise do setor jurídico do GDF.

O secretário reconhece, porém, que a operação do estádio, por si só, é deficitária. ;Claro que não supre os R$ 700 mil por mês que gastamos com ele.; E também adiantou que o problema de pagamento com a empresa que realiza a manutenção do gramado será solucionado nos próximos dias. Há uma dívida de aproximadamente R$ 500 mil entre o GDF e a empresa Greenleaf ; responsável pela manutenção ;, e o objetivo é acelerar o retorno dos serviços a tempo de Flamengo x Ponte Preta, caso seja mesmo realizado em Brasília. Na derrota do Flamengo para o Coritiba, em setembro, o gramado estava em boas condições, mas houve um show sertanejo que prejudicou o estado do tapete verde.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação