Ataque ao Aedes aegypti ganha reforço

Ataque ao Aedes aegypti ganha reforço

A ação de 70 militares do Corpo de Bombeiros começou em Sobradinho 2. À tarde, foi a vez da área central de Brasília

» Caroline Pompeu Especial para o correio
postado em 17/12/2015 00:00
 (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)


Ontem cerca de 70 militares do Corpo de Bombeiros do DF foram empregados na vistoria de alguns locais onde há água parada e que seriam potenciais focos do Aedes aegypti ; transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus. A ação foi resultado de um decreto do governador Rodrigo Rollemberg. Alguns dos locais vistoriados foram apontados por reportagem publicada pelo Correio, na quarta-feira.

A ação começou na parte da manhã, em Sobradinho 2, uma das regiões com mais incidência do mosquito. Foram feitas vistorias, entre outros locais, nas áreas residencial e comercial, incluindo o teto das paradas de ônibus.

Na parte da tarde, 30 militares do Corpo de Bombeiros concentraram esforços na área central de Brasília, onde, segundo a corporação, não foram encontrados focos de larva do mosquito. Uma dupla de bombeiros ficou responsável por cada ponto específico entre espelhos d;água, como o da Praça do Buriti e a Piscina de Ondas do Parque da Cidade.

No espelho d;água na Praça do Buriti, por exemplo, foram detectados peixes. Onde há a presença de peixes, não há necessidade de atuação artificial. A larva (do mosquito) faz parte da cadeia alimentar do peixe que não a deixa sobreviver ou proliferar;, explicou o tenente Gildomar Alves. Já na Piscina de Ondas, desativada há 18 anos, os militares tiveram de empregar larvicida (agente químico que combate a larva do mosquito) na água parada, como medida de prevenção. Apesar de não terem detectado larvas, no local não existem peixes.

Reforços

De acordo com o especialista em epidemiologia e controle de doenças Pedro Luiz Tauil, realmente é mais difícil existirem larvas quando há peixes por conta do chamado controle biológico. ;Uma das maneiras de controlá-las são com os peixes larvófagos;, disse.

O Exército Brasileiro e a Marinha do Brasil apoiarão o GDF com o emprego de 100 militares de cada órgão no combate ao Aedes aegypti. Hoje e amanhã, os militares da Marinha recebem treinamento de instruções teórica e prática para intensificar os trabalhos de orientação à população sobre os cuidados, sintomas e prevenção da doença. O Comando Militar do Planalto será responsável pela ;Operação Mão Amiga II;, a partir de 21 de dezembro. Começou ontem e termina amanhã os treinamentos de militares do Exército para atuarem nas regiões do entorno de Brasília e Plano Piloto vistoriando residências, por exemplo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação