Os limites em busca do corpo perfeito

Os limites em busca do corpo perfeito

A morte de um praticante de crossfit após uma série de execícios exaustivos acendeu o sinal. Todo cuidado é pouco na hora de pegar pesado na malhação. Especialistas alertam para a necessidade de orientação profissional e para o perigo do uso de substâncias sem prescrição

» CAMILA COSTA » RAFAEL CAMPOS » ALEXANDRE FACCIOLLA Especial para o Correio
postado em 06/03/2016 00:00
 (foto: Fotos: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Fotos: Breno Fortes/CB/D.A Press)



Basta ligar a televisão, acessar as redes sociais ou os sites de notícias para receber uma chuva de informações fitness. A ditadura do corpo perfeito tem mudado mais do que a estética de quem recebe essas mensagens. Afeta o psicológico e, em muitos casos, a saúde. Especialistas no assunto, porém, são categóricos: o auxílio de profissionais da área nunca pode ser dispensado, e a cautela é a grande aliada dos resultados. Se por um lado, o uso de anabolizantes e de outras substâncias é perigo certo; por outro, a intensidade dos exercícios também deve ser levada em conta. A morte de um praticante de crossfit no início da semana acendeu o sinal de alerta.

O advogado Paulo Maurício Ferreira Souza, 37 anos, é um exemplo de vítima do sistema. Sempre praticou atividade física, mas o sonho de alcançar a tão sonhada imagem ideal fez com que ele apelasse para todo tipo de ;ajuda;. ;Eu malhava pesado, e tudo que indicavam como bom para ficar forte, bem malhado, eu tomava. Cheguei a tomar todo tipo de suplementação e a experimentar, inclusive, anabolizantes.; Nesse ritmo, chegou uma hora que o corpo reclamou. Há cerca de seis meses, Maurício estava na academia, correndo na esteira, quando sentiu fortes dores no peito e tremedeira. Ao chegar a uma unidade de saúde, precisou ser submetido a uma cirurgia. ;Quase não consegui chegar ao hospital. Quando o médico me examinou, ele falou: você está morrendo, tendo um infarto. Ele me levou direto para a mesa de cirurgia. Fizeram cateterismo e angioplastia. O médico disse que, se tivesse demorado mais cinco minutos, ele não poderia ter feito mais nada por mim.;

O laudo mostrou que o advogado teve as veias do coração entupidas por ;substâncias químicas; ; produtos ingeridos, principalmente, sem orientação especializada. A rotina precisou ser modificada de lá pra cá. Sal e gordura foram cortados da alimentação e as atividades físicas ficaram menos intensas. ;Era tudo, simplesmente, em nome da vaidade. Sem me preocupar com as consequências.;

Quase na mesma época em que Maurício infartou, uma jovem saltou do 11; andar do prédio da avó, em Uberaba, a cerca de 500 quilômetros de Brasília. Segundo a família de Carolina, que tinha 23 anos, a sibutramina ; remédio ingerido para emagrecer ; causou depressão e alucinações na menina. Aqui no DF, uma blogueira conhecida por fazer propaganda de marcas locais reacendeu a discussão quando admitiu o uso de inibidores de apetite ; ou anorexígenos ; para perder peso. No ano passado, durante cinco meses, ela incorporou o uso de alguns medicamentos, além de outros cuidados, ao processo de emagrecimento. Em um post feito na página pessoal, a blogueira citou o nome do remédio e atiçou a curiosidade dos admiradores. Com mais 119 mil seguidores, a mensagem foi interpretada por alguns como uma sugestão de uso. No caso dela, tudo foi receitado e acompanhado por uma médica. Mas nem sempre é assim.

O uso de substâncias sem orientação de um profissional é repudiado entre os especialistas. Para o professor de educação física da assessoria esportiva Sport Mais Leandro Lopes, o uso indiscriminado representa risco. ;Infelizmente, muitas pessoas usam o suplemento por conta própria. Os ativadores, por exemplo, dão uma gás maior na hora da atividade física; porém, eles aceleram o metabolismo e, em alguns casos, estimulam o ataque cardíaco, a depender da situação e de quem usou;, explica. O conselho é que as pessoas busquem o auxílio de profissionais específicos para cada tipo de objetivo. ;O professor de educação física vai montar o treino adequado, o médico vai avaliar as condições físicas e o nutricionista ou endocrinologista apontará a dieta ou os produtos a serem consumidos.;

Exaustão

A morte de Roberval Ferreira de Souza Júnior, 35, na última segunda-feira, trouxe questionamentos também sobre os riscos trazidos pela intensidade dos exercícios desenvolvidos no crossfit. Ele teve uma parada cardiorrespiratória depois de realizar uma série de atividades na academia Crossfit Selva, no Park Way. O laudo sobre a causa da morte do representante farmacêutico ainda não foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML). O órgão tem até 30 dias para apresentar seu parecer a respeito do caso.

O Crossfit é uma atividade que surgiu nos Estados Unidos e consiste em exercícios tradicionais das academias com esforços aeróbicos, com o objetivo de garantir, ao mesmo tempo, perda de gordura e ganho de massa muscular. Apesar de ser uma novidade, parece atrair adeptos na mesma proporção dos questionamentos sobre a segurança da prática. O presidente do Conselho Regional de Educação Física do DF (Cref-DF), Patrick Aguiar, garante que toda modalidade esportiva tem um aumento gradativo na sua intensidade, e o cuidado com o que está sendo feito é de responsabilidade do professor que orienta a turma. ;Ele é quem deve identificar as limitações dos alunos, a partir de avaliação física, para definir o que pode ser feito para que alcance seus objetivos.;

Para Aguiar, quem procura academias de crossfit deve ficar atento à qualificação dos profissionais. ;Ele deve verificar se ela é registrada no conselho, na quantidade de professores que orientam os alunos e se eles são, de fato, formados em educação física.; O aeroportuário Raphael Augusto, 23, pratica crossfit há dois anos. Ele começou a atividade indo duas vezes por semana. Passou para três e, meses depois, para cinco vezes na semana. Nunca sofreu uma lesão. Ele afirma que a evolução tem de vir com calma e seguindo a orientação dos professores, mas revela que nem sempre essa é a ideia de todos os praticantes. ;O que acontece é que as pessoas tentam superar umas às outras. Há um quadro na parede em que são colocados os treinos e podemos ver nossa evolução. Mas há quem faça os exercícios de forma errada para tentar mostrar que evoluiu mais rápido.;

Uma das principais aliadas da atividade física é a alimentação. Feita de forma adequada, consegue fazer a grande diferença. Segundo a nutricionista da equipe da Clínica Nutricionistas e Funcional Alessandra Almeida, deficiências nutricionais levam a um maior risco de lesão muscular, comprometimento do sistema imunológico e risco de doenças cardiovasculares. ;Já está claro que uma alimentação mais saudável tem relação direta na melhora da qualidade de vida. O emagrecimento ou ganho de massa muscular é uma consequência da busca por hábitos mais saudáveis.;


Emagrecedor
No Distrito Federal, de acordo com o Núcleo de Medicamento e Controle Especial da Subsecretaria de Vigilância à Saúde do DF, de janeiro a maio de 2015, foram emitidas 10.127 receitas do emagrecedor sibutramina. Em 2014, foram

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação