Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 07/10/2016 00:00

O corte nos Correios
Em conversa com amigos, o presidente dos Correios, Guilherme Campos, anunciou que fará uma reestruturação que inclui um enxugamento de 25% em pessoal, estrutura e patrimônio. A empresa está hoje em todos os municípios do Brasil, tem 117 mil funcionários e dois planos caros, o Postal Saúde e o Postalis, ambos deficitários. A negociação para resolver os problemas, entretanto, não será fácil, porque envolve 36 sindicatos.

; ; ;

Mas nem tudo é para cortes. Campos prepara ainda um estudo para convencer o governo sobre a necessidade de a empresa apostar numa ampla frota de aeronaves. Hoje, disse Campos, a Fedex americana tem o mesmo número de aviões que as empresas Sul-americanas juntas. Ou os Correios se modernizam, ou não terão competitividade.


Cuidem-se!
Quem acompanha com lupa as investigações da Lava-jato prevê tempos difíceis para o ministro do Tribunal de Contas da União Vital do Rego e para o presidente do Senado, Renan Calheiros.


Próximo embate
Quem acompanha os movimentos do governo de olho no futuro aposta hoje as fichas num confronto iminente entre o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o de Relações Exteriores, José Serra. Quanto mais as reformas avançarem, mais a disputa ficará exposta.


Nem vem
Bastou Lula olhar com ares de aposta para Ciro Gomes que os petistas começaram a sair da toca. Desenvolto e cheio de vontade, o ex-ministro do Desenvolvimento Social e também do Desenvolvimento Agrário Patrus Ananias, por exemplo, planeja percorrer o país em prol da recuperação do PT. ;Não se deve culpar o partido pelos erros, e, sim, as pessoas. O PT é mais que isso;, diz ele, alertando que a ideia agora é ;renovação!”.


Santo de casa

Patrus informa que Lula também tem defendido um nome novo à Presidência da República. ;O partido precisa de novos líderes e até o Lula considera que a hora é de renovar;, avisa.


Passa, mas...

Os deputados não têm dúvidas de que o governo terá maioria para aprovar o teto de gastos. Porém, não será tão rápido quanto se esperava. O PT tem mostrado que fazer oposição é igual a andar de bicicleta: 13 anos de governo não fizeram os petistas esquecerem esse ofício.


CURTIDAS

O mordomo de tudo/
Já passava da uma da matina de quinta-feira quando o senador Romero Jucá avisou que esperava apenas os deputados chegarem dos restaurantes para concluir a votação dos vetos. Foi quando Alberto Fraga (DEM-DF) não se conteve: ;Em restaurante não estão, porque o PT quebrou até o Fiorella;, disse ele, trocando o nome do restaurante.


Lotação esgotada/ Muitos deputados, entretanto, estavam num restaurante comemorando o aniversário do presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mário Rodrigues Júnior (foto). O ministro dos Transportes, Maurício Quintela, também marcou presença.

O advogado e Dr Ulysses I/
Fim da década de 1980, Doutor Ulysses pensou em rever o regimento da Câmara para dispensar o uso do paletó e gravata no salão verde e no plenário da Casa. Ele, que adorava ouvir opiniões, consultou então o jovem advogado Gastão de Bem, que começava a trabalhar para o partido. ;Se o senhor fizer isso, vai virar uma esculhambação;. Ulysses nada respondeu na hora.

O advogado e Dr. Ulysses II/ Passados uns dias, Ulysses avisou ao jovem Gastão que não mudaria o regimento. Até hoje, é proibido circular por ali em ;manga de camisa; quando a Casa está em sessão.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação