Policiais apelam à Presidência

Policiais apelam à Presidência

No dia em que agentes e delegados iniciaram paralisação de 48 horas, cerca de 100 servidores da corporação realizaram uma ato diante do Palácio do Planalto. Eles foram recebidos pelo chefe de gabinete, Tadeu Filippelli, que marcará uma reunião com Michel Temer

ISA STACCIARINI THIAGO SOARES
postado em 25/10/2016 00:00
 (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)

Há 113 dias mobilizados para conseguir o reajuste que mantém a paridade salarial com a Polícia Federal, agentes e delegados adotam, a cada semana, medidas para pressionar o governo. Uma nova paralisação prejudica quem busca atendimento nas delegacias do Distrito Federal. A suspensão dos trabalhos durará até as 8h de amanhã. As investigações também estão afetadas, e as perícias só são deslocadas para atender crimes graves, como Lei Maria da Penha, latrocínio, homicídio e sequestro relâmpago. Na tarde de ontem, cerca de 100 policiais civis fizeram uma manifestação em frente ao Palácio do Planalto para pedir apoio do governo federal nas negociações.


Nas unidades, faixas anunciam a paralisação, e muita gente é alertada pelos servidores na porta das delegacias, como o Correio presenciou na 3; Delegacia de Polícia (Cruzeiro) e na 5; DP (Setor Central). Os policiais decidiram cruzar os braços em assembleia na quinta-feira. E os delegados se uniram às demais categorias na sexta como forma de protesto contra as exonerações e as substituições de chefes e diretores da instituição publicadas no Diário Oficial do Distrito Federal no mesmo dia.
A professora Marli Rocha, 65 anos, saiu de uma agência bancária e tentou registrar uma ocorrência na 3; DP, pois o cartão dela havia sido clonado. Não conseguiu atendimento. ;É um prejuízo. Enquanto isso, o meu cartão fica bloqueado. Segurança não existe mais, e sempre os nossos direitos são afetados. Estou sem saber o que fazer;, lamentou. O empresário Euçan Carlos Machado, 35, trabalha com locação e, na tarde de ontem, tentou fazer um registro na unidade do Cruzeiro porque está com o material de serviço retido no Setor de Oficinas Sul. Ele saiu de Santo Antônio do Descoberto (GO), onde mora, distante cerca de 40km de Brasília. ;É um dia perdido. Gasta gasolina, tempo e dinheiro;, queixou-se.

Fundo Constitucional

Durante o protesto realizado em frente ao Palácio do Planalto, os policiais civis foram recebidos pelo chefe de gabinete da Presidência, Tadeu Filippelli. Ele se comprometeu a marcar um encontro com o presidente da República, Michel Temer (PMDB). ;Queremos destravar a pauta com a União, já que quem concede os nossos reajustes é o governo federal. Entendemos o período de dificuldade, mas é viável o presidente Michel Temer nos ouvir para evitar um colapso;, considerou o presidente interino do Sindicato dos Delegados da Polícia Civil (Sindepo), Rafael Sampaio.


O presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), Rodrigo Franco, lembrou que o valor do Fundo Constitucional aumentará R$ 1 bilhão no próximo ano ; passará de R$ 12 bilhões para R$ 13 bilhões ; e, segundo ele, o GDF quer disponibilizar R$ 28 milhões para a Polícia Civil. ;São apenas 3%, enquanto a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros e a área da saúde receberão 97%. Temos tido um tratamento diferenciado, e isso é algo que não vamos mais aceitar;, reclamou. Em nota, a Casa Civil do GDF disse que apresentou quatro propostas de reajuste salarial à Polícia Civil, todas rejeitadas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação